Usos do entretenimento como estratégia de visibilidade política na página da prefeitura de Curitiba no Facebook

  • Luís Mauro Sá Martino Professor do Mestrado em Comunicação na Contemporaneidade da Faculdade Cásper Líbero (FCL), Brasil.
  • Tayra Carolina Aleixo Faculdade Cásper Líbero (FCL), Brasil.
Palavras-chave: comunicação, política, entretenimento, teoria da comunicação, processos midiáticos

Resumo

Este texto delineia algumas condições de visibilidade midiática a partir do uso do entretenimento por agentes da esfera política, tomando como estudo de caso a página da prefeitura de Curitiba-PR, no site de rede social Facebook. A pesquisa, realizada a partir da análise das postagens, bem como uma entrevista realizada junto ao gestor de comunicação da prefeitura curitibana, articulada com levantamento bibliográfico, sugere que o uso do entretenimento parece contribuir para um aumento da interlocução entre prefeitura e munícipes via internet, bem como a projeção de visibilidade do órgão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luís Mauro Sá Martino, Professor do Mestrado em Comunicação na Contemporaneidade da Faculdade Cásper Líbero (FCL), Brasil.

Professor no mestrado em Comunicação na Contemporaneidade da Faculdade Cásper Líbero (SP). Doutor em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Foi pesquisador-bolsista na Universidade de East Anglia (Inglaterra). Autor dos livros Teoria da comunicação (Vozes, 2009) e Comunicação & identidade (Paulus, 2010), entre outros.

Tayra Carolina Aleixo, Faculdade Cásper Líbero (FCL), Brasil.
Mestre em Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero (SP).

Referências

AGUIAR, L. Entretenimento: valor-notícia fundamental. Estudos em Jornalismo e Mídia, Florianópolis, v. 5, n. 1, p. 13-23, 2008.

ALEIXO, T. Afeto e política: gênero, processos midiáticos e participação digital das vereadoras da Região Metropolitana de Campinas. 2016. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Faculdade Cásper Líbero, São Paulo, 2016.

______. Elementos pessoais e participação política em perfis de vereadores de Itupeva/SP no Facebook. In: SEMINÁRIO MÍDIA, POLÍTICA E ELEIÇÕES, 1., 2014, São Paulo. Anais… São Paulo: PUC-SP, 2014.

BABCOCK, W.; WHITEHOUSE, V. Celebrity as a postmodern phenomenon, ethical crisis for democracy, and media nightmare. Journal of Mass Media Ethics, London, v. 20, n. 2-3, p. 176-191, 2005.

BEETHAM, D. Liberal democracy and the limits of democratization. In: HELD, D. (Ed.). Prospects of democracy: North, South, East, West. Stanford: Stanford University Press, 1993. p. 55-73.

BRAGA, J. L. Dispositivos interacionais. In: ENCONTRO DA COMPÓS – Grupo de Trabalho Epistemologia da Comunicação, 20., 2011, Porto Alegre. Anais… Belo Horizonte: Compós, 2011.

BRANTS, K.; NEIJENS, P. The infotainment of politics. Political Communication, London, v. 15, n. 2, p. 149-164, 1998.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Comunicação Social. Pesquisa brasileira de mídia 2015: hábitos de consumo de mídia pela população brasileira. Brasília, DF: Secom, 2014.

BUCY, E. P.; GREGSON, K. S. Media participation: a legitimizing mechanism of mass democracy. New Media & Society, London, v. 3, n. 3, p. 357-380, 2001.

CARLSON, J. G.; HATFIELD, E. Psychology of emotion. Fort Worth: Holt, Rinehart and Winston, 1991.

CASTRO, F. Prefeitura brinca com capivaras e nome de Curitiba nas redes sociais. Portal G1, Curitiba, 13 nov. 2013. Disponível em: <http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2013/11/prefeitura-brinca-com-capivaras-e-nome-de-curitiba-nas-redes-sociais.html>. Acesso em: 8 jun. 2015.

COUTINHO, C. N. Contra a corrente: ensaios sobre democracia e socialismo. São Paulo: Cortez, 2000.

COUTINHO, I. Dramaturgia do telejornalismo: a narrativa da informação em rede e nas emissoras de televisão de Juiz de Fora, MG. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012.

DAHLGREN, P. Reconfiguring civic culture in the new media Milieu. In: CORNER, J.; PELS, D. Media and the restyling of politics: consumerism, celebrity and cynicism. London: Sage, 2004. p. 151-170.

DAVIS, R. Politics online: blogs, chatrooms and discussion groups in American democracy. Nova York: Routledge, 2005.

DAWKINS, R. O gene egoísta. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

DEJAVITE, F. A. Infotenimento: informação + entretenimento no jornalismo. São Paulo: Paulinas, 2006.

DYER, R. Only entertainment. Londres: Routledge, 1997.

FRIDJA, N. H.; KUIPERS, P.; TER SCHURE, E. Relations among emotion, appraisal, and emotional action readiness. Journal of Personality and Social Psychology, Washington, DC, v. 57, n. 2, ago. 1989, p. 212-228.

FUNG, T. K. F; NAMKOONG, K.; SCHEUFELE, D. A. The politics of emotion: news media attention, emotional responses, and participations during the 2004 U. S. presidential election. Mass Communication and Society, London, v. 15, n. 1, p. 25-45, 2012.

GOMES, W. A democracia digital e o problema da participação civil na decisão política. In: ENCONTRO DA COMPÓS – Grupo de Trabalho Comunicação e Política, 14., 2005, Niterói. Anais… Belo Horizonte: Compós, 2005.

______. Participação política online: questões e hipóteses de trabalho. In: GOMES, W.; MAIA, R. C. M.; MARQUES, F. P. J. A. (Orgs.). Internet e participação política no Brasil. Porto Alegre: Sulina, 2011. p. 19-46.

______. Transformações da política na era da comunicação de massa. São Paulo: Paulus, 2004.

GONZÁLEZ-BAILÓN, S.; BANCHS, R. E.; KALTENBRUNNER, A. Emotions, public opinion, and U.S. presidential approval rates: a 5-year analysis of online political discussions. Human Communication Research, Hoboken, v. 38, n. 2, p. 121-143, 2012.

GROHMANN, R. A comunicação eletrônica é epistemóloga: entrevista com Muniz Sodré. Revista Parágrafo, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 121-128, jan./jun. 2015.

HABERMAS, J. A inclusão do outro: estudos de teoria política. São Paulo: Loyola, 2004.

______. Direito e democracia: entre facticidade e validade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

HYDE-CLARKE, N. Facebook and public debate: an informal learning tool for the youth. Journal of African Media Studies, Bristol, v. 5, n. 2, p. 131-148, 2013.

JOSGRILBERG, F. B. A opção radical pela comunicação na cidade. In: SILVEIRA, S. A. (Org.). Cidadania e redes digitais: citizenship and digital networks. São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil: Maracá – Educação e Tecnologias, 2010. p. 155-183.

MARQUES, A. C. S. Aspectos teórico-metodológicos do processo comunicativo de deliberação online. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, DF, n. 6, p. 19-40, 2011.

______. La conversation civique sur internet: contributions au processus délibératif. Estudos em Comunicação, Curitiba, n. 5, p. 21-52, maio 2009.

MARTINO, L. M. S. Teoria das mídias digitais. Petrópolis: Vozes, 2014.

______. Três hipóteses sobre as relações entre mídia, entretenimento e política. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 6, p. 137-150, jul./dez. 2011.

MARTINO, L. M. S.; MARQUES, A. C. S. Promises and limits of discourse ethics in communicative interactions. Estudos em Comunicação, Curitiba, n. 10, p. 1-21, dez. 2011.

MEYER, T. Media democracy. London: Polity, 2002.

MUIR, K. Media darlings and falling stars: celebrity and the reporting of political leaders. Westminster Papers in Communication and Culture, London, v. 2, n. 2, p. 54-71, 2005.

MUTZ, D. C.; YOUNG, L. Communication and public opinion: plus ça change? Public Opinion Quarterly, Oxford, v. 75, n. 5, p. 1018-1044, 2011.

NUNES, M. R. F. A memória na mídia. São Paulo: Annablume, 2004.

PINHONI, M. Curitiba é hoje cidade mais engraçada do Brasil. Portal Exame, São Paulo, 24 abr. 2014. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/curitiba-e-hoje-cidade-mais-engracada-do-brasil-veja-razao>. Acesso em: 8 jun. 2015.

RAWLS, J. O direito dos povos. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

RECUERO, R. C. Memes e dinâmicas sociais em weblogs: informação, capital social e interação em redes sociais na internet. Intexto, Porto Alegre, v. 2, n. 15, p. 1-16, jul./dez. 2006.

REES, L. Selling politics. London: BBC Books, 1992.

SANTOS, F. Prefeitura de Curitiba usa humor no Facebook e ganha fãs. Portal Terra, São Paulo, 16 abr. 2014. Disponível em: <http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/prefeitura-de-curitiba-usa-humor-no-facebook-e-ganha-fas,1042b5ae60a65410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html>. Acesso em: 8 Jun. 2015.

SHIFMAN, L. Memes in digital culture. Cambridge, MA: MIT Press, 2013.

SIBILIA, P. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

SODRÉ, M. As estratégias sensíveis: afeto, mídia e política. Petrópolis: Vozes, 2006.

______. O Brasil simulado e o real: ensaios sobre o quotidiano nacional. Rio de Janeiro: Rio Fundo, 1991.

STREET, J. Mass media, politics and democracy. New York: Palgrave, 2001.

______. Politics and popular culture. London: Polity, 1997.

______. Politics lost, politics transformed, politics colonised? Theories of the impact of mass media. Political Studies Review, Hoboken, v. 3, n. 1, p. 17-33, 2005.

VAN ZOONEN, L. Entertaining the citizen: when politics and popular culture converge. Lanham: Rowman & Littlefield, 2005.

______. Imagining the fan democracy. European Journal of Communication, Thousand Oaks, v. 19, n. 1, p. 39-52, 2004.

WASHBOURNE, N. Mediating politics: newspapers, radio, television and the Internet. New York: Open University, 2010.

WEBER, M. H. Comunicação e espetáculos da política. Porto Alegre: UFRGS, 2000.

______. Imagem pública. In: RUBIM, A. A. C. (Org.). Comunicação e política: conceitos e abordagens. Salvador: Edufba, 2004. p. 259-308.

WILHELM, A. G. Democracy in the digital age: challenges to political life in cyberspace. New York: Routledge, 2000.

WOJDYNSKI, B. W.; RIFFE, D. What kind of media, and when? Public opinion about press coverage of politicians’ private lives. Journal of Mass Media Ethics, London, v. 26, n. 3, p. 206-223, 2011.

YOUNG, L.; SOROKA, S. Affective news: the automated coding of sentiment in political texts. Political Communication, London, v. 29, p. 205-231, 2012.

Publicado
2016-12-17
Como Citar
MARTINO, L.; ALEIXO, T. Usos do entretenimento como estratégia de visibilidade política na página da prefeitura de Curitiba no Facebook. RuMoRes, v. 10, n. 20, p. 68-89, 17 dez. 2016.
Seção
Dossiê