Agência nos thrillers cinematográficos de conspiração

Autores

  • Temenuga Trifonova York University

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.135318

Palavras-chave:

Cinema, thrillers de conspiração, agência, paranoia

Resumo

Os thrillers de conspiração contribuem para a negação da agência na cultura contemporânea, deixando assim a paranoia como a “estrutura de sentimento” dominante? São esses filmes supersimplificações irracionais ou conseguem chamar atenção para as complexidades da nova ordem mundial? Este artigo examina as mudanças de representação da agência nos recentes thrillers de conspiração. O argumento aqui utilizado é que os thrillers de conspiração contemporâneos apontam para um crescimento da incerteza sobre questões de causalidade, responsabilidade e agência, e para a rotinização da conspiração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Temenuga Trifonova, York University

Professora de cinema e artes midiáticas na School of the Arts, Media, Performance & Design da York University. Foi professora na Universidade da Califórnia e na Universidade de New Brunswick. Doutora em teoria estética, filosofia e literatura pela State University of New York. Autora dos livros Warped Minds: Cinema and Psychopathology (Amsterdam University Press, 2014), European Film Theory (Routledge, 2008) e The Image in French Philosophy (Rodopi, 2007).

Referências

BOYD, D.; PALMER, R. B. (Ed.). After Hitchcock: influence, imitation and intertextuality. Austin: University of Texas Press, 2006.

FARRELL J. Paranoia and modernity: Cervantes to Rousseau. Ithaca; Londres: Cornell University Press, 2006.

HEPBURN, A. Intrigue: espionage and culture. New Haven; Londres: Yale University Press, 2005.

JAMESON, F. The geopolitical aesthetic: cinema and space in the world system. Londres: BFI Publishing, 1995.

KNIGHT, P. (Ed.). Conspiracy culture: American paranoia from Kennedy to the X-files. Nova York: Routledge, 2001.

KRAEPELIN, E. Introduction à la psychiatrie clinique. Paris: Vigot Frères, 1907.

LYNCH, K. The image of the city. Cambridge, MA: MIT Press, 1960.

PRATT, R. Projecting paranoia: conspiratorial visions in American film. Lawrence: University Press of Kansas, 2001.

TRIFONOVA, T. Multiple personality and the discourse of the multiple in Hollywood cinema. European Journal of American Culture, v. 29, n. 2, p. 145-171, 2010.

VIDLER, A. Warped space: art, architecture and anxiety in modern culture. Cambridge: The MIT Press, 2002.

Downloads

Publicado

2017-11-23

Como Citar

TRIFONOVA, T. Agência nos thrillers cinematográficos de conspiração. RuMoRes, [S. l.], v. 11, n. 22, p. 59-88, 2017. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.135318. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/135318. Acesso em: 22 out. 2020.

Edição

Seção

Dossiê