A narração de alteridade na ficção e na grande reportagem: apontamentos sobre os modos de representação do outro na televisão brasileira

  • José Augusto Mendes Lobato Universidade de São Paulo (USP)
Palavras-chave: Televisão, jornalismo, ficção seriada, alteridade, análise narrativa

Resumo

O trabalho busca mapear, discutir e elencar marcos estruturais capazes de delimitar a narrativa de alteridade como um formato transversal do ambiente televisivo, com foco em dois gêneros: a grande reportagem jornalística e a ficção seriada. Com base nas ciências da linguagem e nos estudos culturais e da imagem, são adotadas três categorias de análise – as estratégias testemunhais/evenemenciais, os jogos de oposição e as interações entre ficcionalização e factualização – para examinar quatro telenovelas e 16 edições do programa jornalístico Globo Repórter. Ao fim, são mapeados oito elementos estruturantes da enunciação de alteridade, incluindo a retórica testemunhal, a intriga fundada no outro, a marcação de fronteiras e a contra-narração, reiterando as funções de reconfiguração e disciplinarização da experiência na televisão contemporânea.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Augusto Mendes Lobato, Universidade de São Paulo (USP)

Doutor em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Professor dos cursos de Comunicação Social da Universidade Anhembi Morumbi (UAM) e da Universidade São Judas Tadeu (USJT). Editor de conteúdo na consultoria Report Sustentabilidade. É mestre em Comunicação pela Faculdade Cásper Líbero (FCL).

Referências

BARTHES, R. O Rumor da Língua. São Paulo: Brasiliense, 1988.

BENEDETI, C.A. A qualidade da informação jornalística: do conceito à prática. Florianópolis: Insular, 2009.

BHABHA, H. O local da cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

CAMPEDELLI, S. Y. A telenovela. São Paulo: Ática, 1987.

CATALÀ, J. M. La imagen compleja: la fenomenologia de las imágenes en la era de la cultura visual. Bellaterra: Universitat Autònoma de Barcelona, 2005.

DEBORD, G. A Sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

DEBRAY, R. Vida e morte da imagem. Petrópolis: Vozes, 1993.

DUBOIS, P. O Ato Fotográfico e outros ensaios. Campinas: Papirus, 1994.

ECO, U. Seis passeios pelos bosques da ficção. SP: Companhia das Letras, 1994.

FARO, J. Reportagem: na fronteira do tempo e da cultura. Verso e Reverso, n.65, 2013.

FARRÉ, M. El noticiero como mundo posible. Buenos Aires: La Crujia, 2004.

FLUSSER, V. O mundo codificado. São Paulo: Cosac & Naify, 2007.

______. O universo das imagens técnicas. São Paulo: Annablume, 2008.

______. Filosofia da caixa preta. São Paulo: Hucitec, 2011.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FREITAS, J.M. Comunicação e psicanálise. São Paulo: Escuta, 1992.

GOMES, M. R. Poder no jornalismo. São Paulo: Hacker/Edusp, 2003.

______. Comunicação e identificação. Cotia: Ateliê Editorial, 2008.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Guaracira, 2001.

KAMPER, D. Imagem. In: WULF, C.; BORSARI, A. (Orgs.). Cosmo, corpo, cultura. Enciclopedia Antropologica. Milano: Mondadori, 2001.

GOMES, I. (Org.). Televisão e realidade. Salvador: EDUFBA, 2009.

LOPES, M. I. V. A Telenovela Brasileira: uma Narrativa Sobre a Nação. Revista Comunicação & Educação, 25, 2003.

______. Telenovela como recurso comunicativo. Revista Matrizes, v.3, nº1. São Paulo, 2009.

LOTMAN, I. Acerca de la semiosfera. In: La semiosfera. Vol. 1. Madrid: Cátedra, 1998.

MACHADO, A. Pré-cinemas e pós-cinemas. Campinas: Papirus, 2002.

MARTÍN-BARBERO, J. Matrices culturales de la telenovela. Estudios sobre las culturas contemporâneas, v. 2, n. 5, p. 137-164, 1988.

MEDINA, C. Notícia, um produto à venda. São Paulo: Summus, 1988

MELO, J. M. As telenovelas da Globo. São Paulo: Summus, 1988.

MOSCOVICI, S. Representações sociais. Petrópolis, Vozes, 2003.

SODRÉ, M. A narração do fato: notas para uma teoria do acontecimento. Petrópolis: Vozes, 2009.

SPONHOLZ, L. Jornalismo, conhecimento e objetividade: ensaios de teoria do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2009.

TODOROV, T. As estruturas narrativas. São Paulo, Perspectiva, 2003.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórico e conceitual. In: SILVA, T. Identidade e Diferença. A perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

Publicado
2018-06-22
Como Citar
LOBATO, J. A. A narração de alteridade na ficção e na grande reportagem: apontamentos sobre os modos de representação do outro na televisão brasileira. RuMoRes, v. 12, n. 23, p. 299-318, 22 jun. 2018.
Seção
Artigos