Vozes e silenciamento em Veja e Época: o uso político das fontes na cobertura da Copa do Mundo em um ano eleitoral

  • Juliano Vasconcelos Tavares Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG)
  • Teresinha Carvalho Cruz Pires Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) http://orcid.org/0000-0001-9628-1799
Palavras-chave: Opinião pública, fontes, jornalismo de revista

Resumo

O artigo analisa estratégias discursivas utilizadas no âmbito do jornalismo de revista com o fim de expressar e formar a opinião pública em um contexto de Copa do Mundo e eleições presidenciais. Para tanto, foram investigadas as falas de pessoas comuns nas coberturas de Época e Veja. Assim, por meio de uma análise de enquadramento, pôde-se perceber o uso político dessas falas e, em alguns momentos, o seu silenciamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Vasconcelos Tavares, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG)
Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social: Interações Midiáticas da PUC-MG.
Teresinha Carvalho Cruz Pires, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG)

Professora do Departamento de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG).

Referências

BENETTI, Marcia. Análise do Discurso em jornalismo: estudo de vozes e sentidos. In: LAGO, Cláudia; BENETTI, Marcia. Metodologia de Pesquisa em Jornalismo. Petrópolis: Vozes, 2007. Parte II, p. 107-122.

BENETTI, Marcia; HAGEN, Sean. Jornalismo e imagem de si: o discurso institucional das revistas semanais. Estudos em Jornalismo e Mídia. Florianópolis, v. 7, n. 1, p. 123-135, jan./jun. 2010.

BOMBIG, Alberto; TURRER, Rodrigo. A abertura num estádio problema. Época: São Paulo, 9 jun. 2014. N. 836, p. 56-60.

CAVALCANTE, Sávio. Classe média e conservadorismo liberal. In: CRUZ, Sebastião Velasco; KAYSEL, André; CODAS, Gustavo. Direita, volver! O retorno da direita e o ciclo politico brasileiro. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2015. P. 177-195.

COSTA, Caio Túlio. Jornalismo como representação da representação: implicações éticas no campo da produção da informação. Líbero. São Paulo, v. 12, n. 23, p. 29-41, jun. 2009.

COULDRY, Nick. Media power: some hidden dimensions. In: COULDRY, Nick. The place of media power: pilgrims and witnesses of the media age. Londres: Routledge, 2002. P. 39-61.

EMEDIATO, Wander. A construção da opinião na mídia: argumentação e dimensão argumentativa. In: EMEDIATO, Wander. (Org.) A construção da opinião na mídia. Belo Horizonte: UFMG, 2013. Cap. 2, p. 69-100.

FRAGA, Emerson da Fonseca; MOTTA, Luiz Gonzaga. A disputa pela voz: conflito e negociação de sentidos na construção de uma telenarrativa jornalística. Líbero. São Paulo, v. 16, n. 32, p. 99-110, jul./dez. 2013.

IBOPE INTELIGÊNCIA. Pesquisa Telefônica de Opinião Pública Copa do Mundo 2014 (06/2014). Brasília: Ibope. 2014. Disponível em: <http://www.secom.gov.br/atuacao/pesquisa/lista-de-pesquisas-quantitativas-e-qualitativas-de-contratos-atuais/lista-de-pesquisas-quantitativas-e-qualitativas-de-contratos-atuais?b_start:int=60>. Acesso em: 25 jun. 2016.

LAGE, Nilson. A reportagem: teoria e técnica de entrevista e pesquisa jornalística. Rio de Janeiro: Record, 2001.

MARTINEZ, Monica; CORREIO, Eduardo Luiz; PASSOS, Mateus Yuri. Entre fato e ficção: personagens compostos e fictícios ou fraude em jornalismo? Estudos em Jornalismo e Mídia. Florianópolis, v. 12, n. 2, p.238-250, jul./dez. 2015.

MIGUEL, Luis Felipe; BIROLI, Flávia. Introdução: mídia, conflito e formação de preferências. In: BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luis Felipe. Notícias em disputa: mídia, democracia e formação de preferências no Brasil. São Paulo: Contexto, 2017.

NEVEU, Erik. Sociologia do Jornalismo. Tradução Daniela Dariano. São Paulo: Loyola, 2006.

O BOM humor está por um fio. Época: São Paulo, 2014, n. 838, 23 jun. 2014. Brasil, p. 40-42.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Silêncios e resistência: um estudo da censura. In: ORLANDI, Eni Puccinelli. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 2. ed. Campinas: Unicamp, 1993. P. 97-138.

PORTELA, Cristiane. Revistas semanais de informação no Brasil hoje: conceituações e definições. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL DE COMUNICAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL.14., 2009, São Paulo. Anais eletrônicos…São Paulo: Regiocom, 2009. Disponível em: < http://www2.metodista.br/unesco/1_Regiocom%202009/trabalhos.htm > Acesso em 15 out. 2015.

PORTO, Mauro. Entrevista: Porto, Mauro: Estudo em Jornalismo e Mídia, Entrevista concedida a Heloiza Herscovitz. Florianópolis, v. 3, n. 1, p.130-134, 1º sem. 2006.

PRUDÊNCIO, Kelly. Micromobilizações, alinhamento de quadros e comunicação política. Revista Compolítica. Rio de Janeiro, v. 2, n. 4, p. 87-110, ago./dez. 2014.

SILVERSTONE, Roger. Complicity and collusion in the mediation of everyday life. New Literary History. Baltimore, v. 33, n. 4, p. 761-780, 2002.

WOLF, Mauro. As fontes. In: WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação. 7ª edição. Lisboa: Presença, 2002. p. 222-231.

ZALIS, Pieter; PETRY, André. Estado da desordem. Veja: São Paulo, 28 maio 2014. N. 22, p. 82-83.

Publicado
2018-06-22
Como Citar
TAVARES, J.; PIRES, T. Vozes e silenciamento em Veja e Época: o uso político das fontes na cobertura da Copa do Mundo em um ano eleitoral. Rumores, v. 12, n. 23, p. 279-298, 22 jun. 2018.
Seção
Artigos