Padrões de manipulação no jornalismo brasileiro: fake news e a crítica de Perseu Abramo 30 anos depois

Palavras-chave: manipulação da informação, fake news, jornalismo brasileiro, ética jornalística, crítica de mídia

Resumo

Há exatos trinta anos, o jornalista Perseu Abramo escreveu um curto ensaio em que enumerava cinco padrões de manipulação observáveis nos grandes veículos de comunicação brasileiros. O texto foi publicado apenas em 2003, mas sua permanência e influência podem ser verificadas ainda hoje, principalmente quando se discute a dimensão política dos meios de comunicação. Manipulação da informação é um conceito problemático e raramente enfrentado na bibliografia nacional. Neste artigo, tensionamos a expressão no plano da ética jornalística e da crítica de mídia e sugerimos alguns avanços nos padrões de Abramo, levando em conta a paisagem midiática contemporânea e as ameaças da pós-verdade e das chamadas fake news.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Christofoletti, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Professor e pesquisador do Departamento e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Bolsista de produtividade do CNPq. Um dos líderes do Observatório da Ética Jornalística (objETHOS).

Referências

ABRAMO, Perseu. Padrões de manipulação na grande imprensa. 1ª edição. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2003.

ABRAMO, Perseu. Padrões de manipulação na grande imprensa. 2ª edição. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2016.

ANGRIMANI, Danilo. Espreme que sai sangue: um estudo do sensacionalismo na imprensa. São Paulo: Summus, 1995.

BALL, James. Post-Truth: how bullshit conquered the world. London: Biteback, 2017.

BONNER, William. Jornal Nacional: modo de fazer. São Paulo: Globo, 2009.

CHRISTOFOLETTI, Rogério. As notícias falsas podem não ser tão ruins assim. ObjETHOS, 18 de dezembro de 2017. Disponível em https://objethos.wordpress.com/2017/12/18/comentario-da-semana-as-noticias-falsas-podem-nao-ser-tao-ruins-assim

CONTI, Mario Sergio. Notícias do Planalto: a imprensa e Fernando Collor. São Paulo: Cia das Letras, 1999.

DUNKER, Christian et all. Ética e pós-verdade. Porto

Alegre: Dublinense, 2017.

ERBOLATO, Mario. Dicionário de Propaganda e Jornalismo. Campinas: Papirus, 1985.

HERMAN, Edward S.; CHOMSKY. Noam. Manufacturing Consent. The Political Economy of Mass Media. London: The Bodley Head, 2008.

HOLIDAY, Ryan. Acredite, estou mentindo. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2012.

MEMÓRIA GLOBO. Debate Collor X Lula. s/d. Disponível em <http://memoriaglobo.globo.com/erros/debate-collor-x-lula.htm> Acessado em 28/02/2018.

TANDOC JR., Edson C.; LIM, Zheng Wei & LING, Richard. Defining “Fake News”. Digital Journalism, 2017.

VIEIRA, Lívia de Souza. Métricas editoriais no jornalismo online: ética e cultura profissional na relação com audiências ativas. Tese de Doutorado. Florianópolis: Programa de Pós-Graduação em Jornalismo. Universidade Federal de Santa Catarina, 2018.

WARDLE, Claire. Fake News. It’s complicated. Disponível em https://firstdraftnews.org/fake-news-complicated/ 16 de fevereiro de 2017.

Publicado
2018-06-22
Como Citar
CHRISTOFOLETTI, R. Padrões de manipulação no jornalismo brasileiro: fake news e a crítica de Perseu Abramo 30 anos depois. Rumores, v. 12, n. 23, p. 56-82, 22 jun. 2018.
Seção
Dossiê