Semiocapitalismo e mídia na modulação das afecções: de McLuhan a Todd Gitlin

  • Guilherme Nery Atem Universidade Federal Fluminense (UFF).
Palavras-chave: Semiocapitalismo, mídias, modulações, afecções.

Resumo

Este artigo procura correlacionar as principais idéias de dois autores contemporâneos a respeito da nossa cultura audiovisual, promovida pelas mídias: Marshall McLuhan e Todd Gitlin. Inserida no contexto do Capitalismo Semiótico (Semiocapitalismo), a cultura midiatizada pode ser pensada como “forma”, mais do que como “conteúdo”. Os fluxos ou torrentes audiovisuais nos embalam cotidianamente, e isso traz certas reconfigurações subjetivas. Hoje, comunicar é mais importante do que os fatos comunicados. O objetivo do artigo é ensaiar questionamentos sobre a "forma-mídia", ou “império dos significantes”, aspecto central nas obras desses dois autores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Nery Atem, Universidade Federal Fluminense (UFF).
Doutor em Comunicação e Cultura (ECO-UFRJ). Professor Adjunto (Depto. de Comunicação Social) da Universidade Federal Fluminense. gui.nery@globo.com.
Publicado
2008-06-25
Como Citar
ATEM, G. Semiocapitalismo e mídia na modulação das afecções: de McLuhan a Todd Gitlin. Rumores, v. 1, n. 2, 25 jun. 2008.
Seção
Artigos