Kraftwerk e a ausência dos corpos Notas sobre um show no Rio de Janeiro em 2004 (e outro em 2009)

  • José Cláudio Siqueira Castanheira Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).
Palavras-chave: Corpo, virtualização, cibercultura, tecnologia.

Resumo

Este artigo procura pensar a virtualização dos corpos na cultura contemporânea através de três eixos principais. O primeiro seria o de como o som e a imagem são separados de sua materialidade através de novas técnicas de construção audiovisual. Usando um show da banda alemã Kraftwerk como exemplo, demonstro como a música eletrônica passou a se valer de um objeto sonoro desvinculado de um corpo empírico, o que pode ser estendido para a produção de imagens de síntese. Num segundo momento trato de como os corpos são virtualizados por essas tecnologias. Esse tipo de pensamento vai resultar em construções sócio-tecnológicas como os conceitos de Inteligência Artificial e de Ciborgues. Por fim tento mostrar como o mundo real, em suas diversas instâncias, desde a econômica até a cultural, tende a virtualizar-se, opondo a experiência descorporificada à materialidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Cláudio Siqueira Castanheira, Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).
Mestrando em Comunicação Social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).
Publicado
2010-12-06
Como Citar
CASTANHEIRA, J. C. Kraftwerk e a ausência dos corpos Notas sobre um show no Rio de Janeiro em 2004 (e outro em 2009). Rumores, v. 4, n. 8, 6 dez. 2010.
Seção
Artigos