Efeitos da intervenção fisioterapêutica na amplitude de movimento do ombro e no mapa termográfico de idosas submetidas à cirurgia para tratamento de câncer de mama

  • Débora Melissa Petry Universidade Federal de Santa Catarina
  • Gesilani Julia da Silva Honório Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Keyla dos Santos Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Saionara dos Santos
  • Clarissa Medeiros da Luz Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Soraia Cristina Tonon da Luz Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Marina Palú Universidade do Estado de Santa Catarina
Palavras-chave: Neoplasias da Mama, Amplitude de Movimento Articular, Modalidades de Fisioterapia, Termografia

Resumo

A idade é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de mama e clinicamente, as mulheres idosas apresentam um processo de reabilitação mais difícil. Objetivo: Avaliar os efeitos da intervenção fisioterapêutica na amplitude de movimento (ADM) do ombro e no mapa termográfico de idosas em pós-operatório de tratamento do câncer de mama. Métodos: Participaram 10 idosas, submetidas a tratamento cirúrgico para câncer de mama. A avaliação foi feita antes e após a intervenção através do goniômetro, para medidas de ADM, e da câmera termográfica Eletrophysics PV320T, para identificação da temperatura da região torácica. Utilizou-se o teste Wilcoxon e a correlação de Spearman, com nível de significância de 0,05. Resultados: As pacientes apresentaram melhora significativa da amplitude de todos os movimentos do membro comprometido, exceto a rotação interna. Ao comparar os valores de temperatura da avaliação com a reavaliação, houve um aumento da temperatura das regiões torácicas, sendo significativos apenas os valores da mama preservada. Ao comparar a temperatura da região preservada com a comprometida na avaliação, houve diferença significativa, já na reavaliação, ocorreu uma aproximação destes valores. A correlação entre o aumento de temperatura e ADM foi significativa para adução de ambos os membros e rotação interna do membro preservado, na avaliação. Conclusão: A intervenção garantiu resolução ou diminuição das alterações apresentadas no exame físico, melhora da ADM, aumento da temperatura das regiões torácicas, e correlação entre aumento da temperatura e ADM de adução bilateral e rotação interna do membro preservado na avaliação inicial

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Débora Melissa Petry, Universidade Federal de Santa Catarina
Fisioterapeuta Residente, Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC
Gesilani Julia da Silva Honório, Universidade do Estado de Santa Catarina
Docente, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Keyla dos Santos, Universidade do Estado de Santa Catarina
Mestranda em Fisioterapia, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Saionara dos Santos
Fisioterapeuta
Clarissa Medeiros da Luz, Universidade do Estado de Santa Catarina
Docente, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Soraia Cristina Tonon da Luz, Universidade do Estado de Santa Catarina
Docente, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC
Marina Palú, Universidade do Estado de Santa Catarina
Mestranda em Fisioterapia, Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC

Referências

Instituto Nacional do câncer I. Incidência do Câncer no Brasil: Estimativa 2014. Ministério da saúde. 2014.

Chagas CR, Menke CH, Vieira RJS, Bolf RA. Tratado de mastologia da SBM. Rio de Janeiro: Revinter; 2011.

Timo-Iaria C. O envelhecimento. Acta Fisiátr. 2003;10(3):114-20.

Alves PC, Silva APS, Santos MCL, Fernandes AFC. Conhecimento e expectativas de mulheres no pré-operatório da mastectomia. Rev Esc Enferm USP. 2010;44(4):989-95. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000400019

Azevedo EB, Bezerra PAPL, Ramalho Neto JM, Bustorff LACV, Souto CMRM. Tendências de pesquisas brasileiras sobre mulheres mastectomizadas. Rev Enferm Ref. 2008; III(8):163-70.

Brito CMM, Lourenção MIP, Saul M, Bazan M, Otsubo PPS, Imamura M, et al. Câncer de mama: reabilitação. Acta Fisiatr. 2012;19(2):66-72. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0104-7795.20120013

Barbosa PA. Avaliação da qualidade de vida e impacto funcional em mulheres com câncer de mama pós-intervenção cirúrgica na cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais [Dissertação]. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora; 2014.

Greve P, Dalaruvera KL, Benvenuto FB, Guedes Neto HJ. Avaliação da sensibilidade de membros superiores em pacientes com linfedema pós mastectomia radical. Acta Fisiatr. 2006;13(3):152-6.

Ribeiro LFJ, Freitas Júnior R, Moreira MAR, Queiroz GS, Esperidião MD, Santos DL. Drenagem pós-esvaziamento axilar por câncer de mama: procedimento indispensável? Femina. 2006;34(7):455-60.

Clemente AMMMF. Dissecção axilar Vs biopsia gânglio de sentinela: a funcionalidade do membro superior em utentes submetidas a cirurgia por cancro da mama [Monografia]. Barcarena: Universidade Atlântica; 2012.

Bregagnol RK, Dias AS. Alterações funcionais em mulheres submetidas à cirurgia de mama com linfadenectomia axilar total. Rev Bras Cancerol. 2010;56(1):25-33.

Manduca MSF. Comparação da força de preensão palmar e composição corporal entre mulheres mastectomizadas ou não [Monografia]. Presidente Prudente: Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia; 2011.

Gomide LB, Matheus JP, Candido dos Reis FJ. Morbidity after breast cancer treatment and physiotherapeutic performance. Int J Clin Pract. 2007;61(6):972-82. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/j.1742-1241.2006.01152.x

Nascimento SL, Oliveira RR, Oliveira MMF, Amaral MTP. Complicações e condutas fisioterapêuticas após cirurgia por câncer de mama: estudo retrospectivo. Fisioter Pesq. 2012;19(3):248-55. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502012000300010

Nogueira DGA, Oliveira DA, Valente AG, Coelho ACS, Santos CA, Freitas STT. Desenvolvimento de um instrumento digital para medição da amplitude de movimento de flexão do joelho. Rev Inspirar Mov Saúde. 2011;3(2):31-5.

Sacharuk VZ, Lovatel G, Ilha J, Marcuzzo S, Pinto AL, Xavier LL, et al. Thermographic evaluation of hind paw skin temperature and functional recovery of locomotion after sciatic nerve crush in rats. Clinics (Sao Paulo). 2011;66(7):1259-66. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1807-59322011000700023

Góes J. Hérnia de disco: diagnóstico e tratamento. Rev Eletr Inst Trat Dor. 2014;5(2):4-5.

Norkin CC, White DJ. Medidas do movimento articular: manual de goniometria. 2 ed. Porto Alegre: Artes Médicas; 2001

Luz SCT. Adaptação à prótese híbrida de extremidade superior: estudo termográfico de um caso. Fisioter Pesqui. 2010;17(2):173-7.. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1809-29502010000200014

Pereira CMA, Vieira EORY, Alcântara PSM. Avaliação de protocolo de fisioterapia aplicado a pacientes mastectomizadas a Madden. Rev Bras Cancerol. 2005;51(2):143-8.

Bergmann A, Ribeiro MJP, Pedrosa E, Nogueira EA, Oliveira ACG. Fisioterapia em mastologia oncológica: rotinas do Hospital do Câncer III / INCA. Rev Bras Cancerol. 2006;52(1):97-10.

Petito EL, Gutiérrez MGR. Elaboração e validação de um programa de exercícios para mulheres submetidas à cirurgia oncológica de mama. Rev Bras Cancerol.2008;54(3):275-87.

Resende LF, Franco RL, Gurgel MSC. Fisioterapia aplicada à fase pós-operatória de câncer de mama: o que considerar. Rev Ciênc Méd (Campinas). 2005;14(3):295-302.

Inumaru LE, Silveira EA, Naves MMV. Fatores de risco e de proteção para câncer de mama: uma revisão sistemática. Cad Saúde Pública. 2011;27(7):1259-70. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2011000700002

Jones R, Leonard R. Treating elderly patients with breast cancer. Breast Cancer Online. 2005;8(4). Doi:10.1017/S1470903105002324 DOI: http://dx.doi.org/10.1017/S1470903105002324

Bouchardy C, Rapiti E, Fioretta G, Laissue P, Neyroud-Caspar I, Schäfer P, et al. Undertreatment strongly decreases prognosis of breast cancer in elderly women. J Clin Oncol. 2003;21(19):3580-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1200/JCO.2003.02.046

Petito EL, Nazário ACP, Martinelli SE, Facina G, Gutiérrez MGR. Aplicação de programa de exercícios domiciliares na reabilitação do ombro pós-cirurgia por câncer de mama. Rev Latino-Am Enfermagem. 2012;20(1):35-43. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692012000100006

Baraúna MA, Canto RST, Schulz E, Silva RAV, Silva CDC, Veras MTS, et al. Avaliação da amplitude de movimento do ombro em mulheres mastectomizadas pela biofotogrametria computadorizada. Rev Bras Cancerol.2004;50(1):27-31.

Silva MPP, Derchain SFM, Rezende L, Cabello C, Martine EZ. Movimento do ombro após cirurgia por carcinoma invasor da mama: estudo randomizado prospectivo controlado de exercícios livres versus limitados a 90º no pós-operatório. Rev Bras Ginecol Obstet. 2004;26(2):125-30. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-72032004000200007

Vitoreli E, Pessini S, Silva MJP. A auto-estima de idosos e as doenças crônico-degenerativas. RBCEH. 2005;2(1):102-14.

Dantas EHM, Pereira SAM, Aragão JC, Ota AH. A preponderância da diminuição da mobilidade articular ou da elasticidade muscular na perda da flexibilidade no envelhecimento. Fitness & Performance J. 2002;1(3):12-20.

Hayes SC, Johansson K, Stout NL, Prosnitz R, Armer JM, Gabram S, et al. Upper-body morbidity after breast cancer: incidence and evidence for evaluation, prevention, and management within a prospective surveillance model of care. Cancer. 2012;118(8 Suppl):2237-49. DOI: http://dx.doi.org/10.1002/cncr.27467

Lauridsen MC, Christiansen P, Hessov I. The effect of physiotherapy on shoulder function in patients surgically treated for breast cancer: a randomized study. Acta Oncol. 2005;44(5):449-57. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/02841860510029905

Springer BA, Levy E, McGarvey C, Pfalzer LA, Stout NL, Gerber LH, et al. Pre-operative assessment enables early diagnosis and recovery of shoulder function in patients with breast cancer. Breast Cancer Res Treat. 2010;120(1):135-47. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s10549-009-0710-9

Scaffidi M, Vulpiani MC, Vetrano M, Conforti F, Marchetti MR, Bonifacino A, et al. Early rehabilitation reduces the onset of complications in the upper limb following breast cancer surgery. Eur J Phys Rehabil Med. 2012;48(4):601-11.

Rett MT, Santos AKG, Mendonça ACR, Oliveira IA, Santana JM. Efeito da fisioterapia no desempenho funcional do membro superior no pós-operatório de câncer de mama. Rev Ciênc Saúde. 2013;6(1):18-24.

Fukushima KFP, Silva HJ, Ferreira CWS. Alterações vasculares resultantes da abordagem cirúrgica da axila: uma revisão da literatura. Rev Bras Mastologia. 2011;21(2):91-8.

Brioschi ML. Metodologia de normalização de análise do campo de temperaturas em imagem infravermelha humana [Tese]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná; 2011.

Publicado
2016-12-29
Seção
Artigo Original