Arte reabilitação em mulheres amputadas utilizando o mito de Pandora como recurso facilitador de autoestima e qualidade de vida

  • Flavia Rodrigues de Souza Scorachio Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD
  • Teresa Kam Teng Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD
  • Márcia Gallo De Conti Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD.
  • Tania Cristina Freire Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD
  • Sheila Jean McNeill Ingham Associação de Assistência à Criança Deficiente – AACD

Resumo

A amputação é um evento traumático que repercute intensamente na vida da pessoa acometida. A dificuldade em lidar com a nova realidade pode contribuir negativamente para a autoestima e reabilitação do indivíduo, afetando a sua qualidade de vida. A Arteterapia por meio dos recursos expressivos pode ser um canal facilitador e promotor de aspectos resilientes para a superação do trauma. Objetivo: Averiguar a influência da Arteterapia na autoestima e qualidade de vida em mulheres amputadas. Grupo formado por 8 mulheres amputadas, entre 35 a 65 anos. Método: Divididos em 2 grupos (4 indivíduos no grupo de intervenção e 4 indivíduos no grupo controle). Instrumentos de avaliação: WHOQOL- Bref (World Health Organization Quality of Life), Escala de Autoestima Rosemberg (EAR), o Desenho da Figura Humana e Relatos das Participantes. As atividades foram desenvolvidas com base no mito de Pandora, em 11 oficinas arteterapêuticas com 1 hora de duração, uma vez por semana no setor de Arte-Reabilitação, AACD – Ibirapuera, São Paulo. Resultados: Estatisticamente não foram observadas diferenças significantes entre os momentos inicial e final para os domínios de Whoqol Bref e EAR, em ambos os grupos; porém, o grupo intervenção apresenta um movimento de melhora na autoestima, especialmente no quesito autodepreciação. Qualitativamente foram observadas através do discurso das participantes melhorias de autoestima e possibilidade de melhoria na qualidade de vida das participantes. Conclusão: A arteterapia, junto com a equipe interdisciplinar, pode contribuir positivamente para o processo de reabilitação em mulheres amputadas ajudando a promover a autoestima e qualidade de vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-03-31
Como Citar
1.
Scorachio F, Teng T, De Conti M, Freire T, Ingham S. Arte reabilitação em mulheres amputadas utilizando o mito de Pandora como recurso facilitador de autoestima e qualidade de vida. Acta Fisiátr. [Internet]. 31mar.2018 [citado 23ago.2019];25(1):12-8. Available from: http://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/158827
Seção
Artigo Original