Infestação de ácaro branco em algodoeiros tratados com retardadores de crescimento

  • Luiz Mauro Barbosa Instituto de Botanica; Seção de Reservas Biológicas
  • Paulo R.C. Castro USP; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Botânica

Resumo

Para se estudar o efeito de retardadores de crescimento de infestação de ácaro branco (Polyphagotapsonemus tatus) em algodoeiro (Gossypium hirsutum L. cv. IAC-17) efetuou-se o plantio da cultura em 20/11/78, no campo experimental do setor de Agricultura da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", em Piracicaba (SP) . Em 17/01/79 foram realizadas as aplicações de Pix (cloreto-1, 1-dimetilpiperidinio) nas concentrações de 84, 167 e 250 ppm, sendo que em 01/02/79 efetuaram-se as pulverizações com cloreto (2-cloroetil) trimetilamonío (CCC) 250, 350 e 450 ppm. Realizaram-se os tratos culturais normais recomendados para o algodoeiro, mas não se efetuou aplicação de produtos acaricidas. Após a constatação da ocorrência natural do icaro branco na cultura, foram con feridos, em 08/03/79, valores numéricos is plantas, correspondentes ao nível de infestação apresentada. Observou-se que a aplicação de retardadores de crescimento não afetou a ocorrência do ácaro. Verificou-se porém uma tendência de redução no ataque do ácaro em plantas tratadas com Pix 167 ppm.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1981-01-01
Como Citar
Barbosa, L., & Castro, P. (1981). Infestação de ácaro branco em algodoeiros tratados com retardadores de crescimento . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 38(1), 121-126. https://doi.org/10.1590/S0071-12761981000100011
Seção
nd155804639