A influência de grãos pretos em ligas com cafés de bebida mole

  • F. Pimentel Gomes Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo
  • Vivaldo F. da Cruz Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo
  • Antonio de Castilho Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo
  • Aldir Alves Teixeira Instituto Brasileiro do Café
  • Luiz S. de P. Pereira Instituto Brasileiro do Café

Resumo

Os autores estudam a influência de grãos pretos em ligas com cafés brasileiros de bebida Mole. Foram ensaiadas porcentagens crescentes de grãos pretos: 0, 1, 2, 5, 10, 15, 20, 30, 40 e 50%. Realizaram-se dois ensaios de degustação em blocos incompletos equilibrados, com t = 10 tratamentos, k = 4 parcelas por bloco, r = 6 repetições, b = 15 blocos, X = 2. Cada parcela era formada por 3 xícaras de tipo padrão e foi provada por 3 degustadores, que davam sua opinião xícara por xícara. Os dados coletados são, pois, 1080, isto é, 540 para cada um dos dois ensaios. Mas cada ensaio tinha realmente apenas 60 parcelas, a cada uma das quais correspondia a média das 9 opiniões sôbre ela emitidas (3 degustadores x 3 xícaras). As bases deste método experimental são as expostas em FAIRBANKS BARBOSA e outros (1962), com as modificações indicadas. Os dois ensaios deram resultados bem concordantes, que levaram às seguintes conclusões: 1 - Os grãos pretos prejudicam sensìvelmente a bebida, e seu efeito é aproximadamente linear. 2 - Porcentagens de grãos pretos de 10% para cima causam prejuizo sensível. 3 - A equação de regressão é Y = 3,792 - 0,0379 X, onde X é a porcentagem de grãos pretos e Y é o número de pontos correspondentes à bebida.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1966-12-31
Como Citar
Gomes, F., Cruz, V., Castilho, A., Teixeira, A., & Pereira, L. (1966). A influência de grãos pretos em ligas com cafés de bebida mole . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 24, 71-81. https://doi.org/10.1590/S0071-12761967000100006
Seção
naodefinida