Variabilidade de Stemphylium solari, Weber, agente causal de mancha foliar do tomateiro, no estado de São Paulo

  • Takao Namekata Secretaria da Agricultura do Estado de São Paulo
  • Hasime Tokeshi USP; ESALQ

Resumo

O presente trabalho trata do estudo da variabilidade do fungo, Stemphylium solani Weber, agente causal da Mancha Foliar do tomateiro (Lycopersicum esculentun Mill.), "Mancha de Estemfilium" que está se tornando cada vez mais importante em tôda área, onde se cultiva o tomateiro. Os autores isolaram 33 culturas de S. solani, de 12 municípios do Estado de São Paulo e estudaram suas capacidades de esporulação em meio de cultura. O modo de esporulação dos isolamentos variou bastante e reisolamentos e repicagens sucessivas mostraram que todos os isolamentos mantiveramas características culturais originais. Dois isolamentos (T-347 e T-419) comportaram-se de maneira bastante diferente dos demais isolamentos. Assim, êstes esporulavam espontânea e abundantemente em quaisquer meios, e nos testes de patogenicidade em tomateiro da variedade Santa Cruz, mostraram possuir elevada patogenicidade, que também confirmada estatìsticamente. Com base na capacidade de esporular em meios de cultura, patogenicidade em tomateiro suscetível e estabilidade das características culturais, os autores propuseram a classificação de S. solani, em 3 raças fisiológicas e discutem sua importância na interpretação de dados divergentes da literatura. Além disso, chamam a atenção para as culturas patogênicas capazes de esporular espontâneamente no meio de batata-dextroseagar e suas aplicações nos trabalhos de melhoramento do tomateiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1966-12-31
Como Citar
Namekata, T., & Tokeshi, H. (1966). Variabilidade de Stemphylium solari, Weber, agente causal de mancha foliar do tomateiro, no estado de São Paulo . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 24, 273-288. https://doi.org/10.1590/S0071-12761967000100026
Seção
naodefinida