Ocorrência de aflatoxina em farelos de amendoim (Arachis hypogaea L.) na região Sorocabana do estado de São Paulo

  • Homero Fonseca ESALQ; Departamento de Tecnologia Rural

Resumo

No presente trabalho foi estudada a ocorrência das aflatoxinas B e G em 44 amostras de farelo de amendoim provenientes de 6 fábricas da região Sorocabana, bem como uma possível correlação na produção de ambas. As amostras foram coletadas em quatro épocas representando material proveniente da industrialização de duas safras distintas a saber: março e maio - safra das "águas" e julho e setembro - safra da "seca". Dos resultados concluiu-se que: a) a incidência de aflatoxina foi geral na região, pois todas as amostras estavam tóxicas; b) o nível de toxidez encontrado foi elevado (valores de 0,1 a 10,0 ppm) sendo mais elevado na safra das "águas" - média de 3,78 ppm, contra 1,74 ppm na "seca"; c) apenas 4,54% do material examinado estaria em condições de ser utilizado para rações animais; d) praticamente não houve correlação entre a produção das aflatoxinas B e G.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1973-01-01
Como Citar
Fonseca, H. (1973). Ocorrência de aflatoxina em farelos de amendoim (Arachis hypogaea L.) na região Sorocabana do estado de São Paulo . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 30, 423-439. https://doi.org/10.1590/S0071-12761973000100032
Seção
naodefinida