As interações em grupos de experimentos de adubação de milho

  • Humberto de Campos USP; Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz; Departamento de Matemática e Estatística
  • Frederico Pimentel Gomes USP; Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz; Departamento de Matemática e Estatística

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo estudar as interações lineares, N' xP';N' x K'e P' x K', em quatro grupos de ensaios fatoriais 3³ de adubação de milho, com N, P e K, num total de 117 experimentos com 3.159 parcelas. Os grupos eram assim constituídos: Grupo 1: 53 ensaios, realizados em Ribeirão Preto (SP), utilizando-se as doses 0; 40 e 80 kg/ha de N, de P(2)0(5) e de K(2)0. Grupo 2: 41 ensaios, realizados no Estado do Rio de Janeiro, com as doses: 0, 30 e 60 kg/ha de N e de K(2)0 e 0; 60 e 120 kg/ha de P2Os. Grupo 3: 10 ensaios, realizados no Triângulo Mineiro, com as doses: 0; 75 e 150 kg/ha para os três nutrientes. Grupo 4: 13 ensaios, realizados: 7 no Triângulo Mineiro e 6 em Patos de Minas (MG), utilizando-se em ambos os subgrupos, as doses: 0; 60 e 120 kg/ha para os três nutrientes. Foi observado que somente as interações N' x P', referente às doses 0 e 1 no grupo 1, e P' x K', referente às doses 0 e 2 no grupo 2, foram significativas. É possível, pois, concluir com grande generalidade, que nos ensaios fatoriais 3³ de adubação de milho, quando se consideram doses moderadas de nutrientes, as interações são de importância secundária e, na grande maioria dos casos, são de pequena monta, quando comparadas aos efeitos principais dos nutrientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1975-01-01
Como Citar
Campos, H., & Gomes, F. (1975). As interações em grupos de experimentos de adubação de milho . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 32, 21-32. https://doi.org/10.1590/S0071-12761975000100002
Seção
naodefinida