Ação do cepa e do ácido giberélico na frutificação da videira 'niagara rosada'

  • Paulo R.C. Castro USP; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Botânica

Resumo

Estudou-se o efeito da aplicação, por imersão, do CEPA (ácido 2-cloroetil fosfônico) e do ácido giberélico, 14 dias antes do florescimento, nas características morfológicas da panícula da videira Vitis (labrus-ca x vinifera) "Niagara Rosada". Alguns tratamentos com ácido giberélico foram concluídos com nova aplicação 10 dias após o florescimento. Neste experimento verificou-se que, aplicação do CEPA na concentração de 250 ppm resultou na formação de panículas com a maioria de características indesejáveis. o tratamento misto CEPA 100 ppm + ácido giberélico 100 ppm também promoveu o aparecimento de panículas subdesenvolvidas. Aplicação de ácido giberélico na concentração de 100 ppm em pré e pós-ílorescimento, resultou médias mais elevadas, com relação ao peso da panícula, comprimento da panícula, peso das bagas e comprimento da ráquis. Ácido giberélico na concentração de 100 ppm aplicado em pós-ílorescimento, promoveu uma tendência de aumento nas médias do tratamento quanto ao comprimento médio das bagas, largura média das bagas, largura do engaço e comprimento da ráquila. Devemos considerar porém, que os resultados obtidos não apresentaram diferenças significativas com relação ao controle, quanto às características das frutificações, nas condições de estudo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1975-01-01
Como Citar
Castro, P. (1975). Ação do cepa e do ácido giberélico na frutificação da videira ’niagara rosada’ . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 32, 99-113. https://doi.org/10.1590/S0071-12761975000100010
Seção
naodefinida