A microflora de derivados do leite como índice de qualidade: I. Queijos

Autores

  • Cláudio Rosa Gallo USP; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Tecnologia Rural
  • Antonio Joaquim de Oliveira USP; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Tecnologia Rural
  • João Gustavo Brasil Caruso USP; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Tecnologia Rural

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0071-12761983000100018

Resumo

Foram isolados e identificados microrganismos patogênicos e deterioradores em três diferentes tipos de queijos, a saber, Prato, Minas Frescal e Provolone, adquiridos junto ao comércio de Piracicaba. As análises realizadas foram para Contagem Total, Coliformes Totais, Coliformes Fecais, Staphylococcus, Psicrotróficos, Termófilos, Proteolíticos, Lipolíticos, Enterococos, Salmonella, Fungos e Leveduras. As altas contagens verificadas para Contagem Total, Coliformes Totais, Coliformes Fecais, S. aureus, Enterococos, Proteolíticos, Lipolíticos e Psicrotróficos na maioria das amostras analisadas neste trabalho, e a presença de Salmonella em algumas delas, revelam que as mesmas devem ser consideradas impróprias ao consumo humano, uma vez que, a maioria das contagens de microrganismos patogênicos, está acima dos padrões estabelecidos pela Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos (1978).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1983-01-01

Como Citar

Gallo, C. R., Oliveira, A. J. de, & Caruso, J. G. B. (1983). A microflora de derivados do leite como índice de qualidade: I. Queijos . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 40(1), 345-360. https://doi.org/10.1590/S0071-12761983000100018

Edição

Seção

nao definida