Ação de estimulantes vegetais no desenvolvimento do girassol (Helianthus annuus L.)

Autores

  • Paulo R.C. Castro USP; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Botânica
  • M. Bernadete Gonçalves USP; E.S.A. Luiz de Queiroz
  • Medson J. Silva USP; E.S.A. Luiz de Queiroz
  • Sergio A. Ribeiro USP; E.S.A. Luiz de Queiroz

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0071-12761983000200026

Resumo

Verificou-se em condições de casa de vegetação o efeito de três estimulan tes no desenvolvimento de girassol cultivares Uruguay e Anhandy. A semeadura do girassol foi realizada em 17.08.82, em vasos de cerâmica, sendo que 24 e 43 dias aps a semeadura as plantas foram pulverizadas com Triacontanol (l-hidroxitriacontano ) na dosagem de 0,05 mg/l, Agrostemin (alantoina, triptofano, adenina e outros aminoácidos) 1 g/10 ml/3 1 e Ergostim (ácido N-acetil tiazolidin-4-carboxílico com ácido fólico) 1,5ml/ 1, além do controle. Foi verificado que Ergostim promoveu aumentos no crescimento e no peso da matéria seca das plantas de girassol mais pronunciados do que Agrostemin. Triacontanol aumentou a florescência e reduziu o peso da matéria seca das plantas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

1983-01-01

Como Citar

Castro, P. R., Gonçalves, M. B., Silva, M. J., & Ribeiro, S. A. (1983). Ação de estimulantes vegetais no desenvolvimento do girassol (Helianthus annuus L.) . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 40(2), 1319-1332. https://doi.org/10.1590/S0071-12761983000200026

Edição

Seção

nao definida