Ocorrência de aflatoxina em amendoim, no estado de São Paulo, durante os anos de 1988 e 1989

  • H. Fonseca Universidade de São Paulo; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Ciência e Tecnologia Agro-industrial
  • I. Valarini Universidade de São Paulo; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Ciência e Tecnologia Agro-industrial
  • M.A.C. Domingues Universidade de São Paulo; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Ciência e Tecnologia Agro-industrial
  • A.S.R. Wettstein Universidade de São Paulo; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Ciência e Tecnologia Agro-industrial
  • A.E.G. Silva Universidade de São Paulo; E.S.A. Luiz de Queiroz; Departamento de Ciência e Tecnologia Agro-industrial
Palavras-chave: amendoim, aflatoxina, ocorrência

Resumo

Este trabalho teve o escopo de dar a público os resultados das análises efetuadas num total de 625 amostras de amendoim descascado, na sua maioria HPS ("hand pick selected"), durante os anos de 1988 (517) e 1989 (108). Considerando que a legislação brasileira permite um máximo de 30 /¼g/kg, somadas as aflatoxinas B1 e G1, os resultados mostraram que em 1988, 52% das amostras (correspondentes a lotes), estavam contaminadas e em 1989, 34%. Os níveis médios de aflatoxina nas amostras contaminadas foram de 13 3,8 ¼g/kg em 1988 e 414,8 ¼g/kg em 1989, que podem ser considerados elevados. O contingente de lotes utilizáveis pela indústria foi de 67% em 1988 e 76% em 1989 (correspondentes às amostras com níveis não detectáveis e abaixo de 30 ¼g/kg).

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1991-01-01
Como Citar
Fonseca, H., Valarini, I., Domingues, M., Wettstein, A., & Silva, A. (1991). Ocorrência de aflatoxina em amendoim, no estado de São Paulo, durante os anos de 1988 e 1989 . Anais Da Escola Superior De Agricultura Luiz De Queiroz, 48, 301-316. https://doi.org/10.1590/S0071-12761991000100017
Seção
Tecnologia Agroindustrial