Depois do Leviathan

  • António Manuel Hespanha Faculdade de Direito; Universidade Nova de Lisboa
Palavras-chave: Estado^i1^sformas de gove, centralismo, Império português, história política

Resumo

O Autor faz o balanço das duas últimas décadas da historiografia institucional da época moderna, verificando até que ponto subsistem hoje os pontos de vista inovadores nos anos 70 sobre uma matriz pluralista e compósita das unidades políticas europeias. Reagindo a posições recentes da historiadora Laura de Mello e Souza (USP) defende que essa matriz política, identificada inicialmente pata a Europa, pode ser estendida à análise política das sociedades coloniais, valorizando - como o vem fazendo largamente a última historiografia do mundo colonial ibérico - a vitalidade política das periferias, bem como a equivosicade e multi-direccionalidade das relações entre a metrópole e as colónias.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-05-01
Edição
Seção
Artigos