Jornalismo periférico

um mapeamento das iniciativas jornalísticas feitas a partir das periferias paulistanas

  • Claudia Nonato Universidade de São Paulo - USP
  • Bruna Soares David Silva FIAM-FAAM Centro Universitário
Palavras-chave: periferias paulistanas; jornalismo periférico; produções jornalísticas das periferias; mapeamento

Resumo

O jornalismo brasileiro vivencia um cenário em que veículos de comunicação de massa difundem narrativas cerceadas por estereótipos para alguns contextos, como as periferias. Diante disso, grupos de jornalistas se articulam nessas localidades com o propósito de construir sua própria comunicação, propondo-se a dar visibilidade à cultura local e a oferecer uma perspectiva positiva do cotidiano periférico. O presente artigo tem como objetivo mapear as iniciativas jornalísticas realizadas a partir das periferias de São Paulo e conhecer os aspectos de organização desses grupos. Para isso, foi feita uma pesquisa bibliográfica e construída uma tabela, com movimentos identificados a partir de redes e encontros voltados à jornalistas das periferias. Constatamos que a maior concentração de iniciativas está na Zona Sul da cidade; além disso, existe a percepção de novos rumos para o jornalismo, da gestão horizontal aplicada nas iniciativas e da busca por meios alternativos para o sustento do trabalho realizado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Nonato, Universidade de São Paulo - USP

Jornalista e Doutora em Ciências da Comunicação na ECA/USP. É pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT-ECA/USP)

Bruna Soares David Silva, FIAM-FAAM Centro Universitário

Estudante   de   graduação   em   Jornalismo   no   Fiam-Faam   Centro   Universitário

Publicado
2019-10-14
Como Citar
Nonato, C., & Silva, B. S. (2019). Jornalismo periférico. Anagrama, 13(2). Recuperado de http://www.revistas.usp.br/anagrama/article/view/161046