O diálogo entre o romance Os Sertões de Euclides da Cunha e a imagem fotográfica de Maurren Bisilliat: um estudo entre a terra e o homem, a luz e as trevas

  • Fernanda da Cunha Correia Universidade Mackenzie
Palavras-chave: Sertões, Literatura, Fotografia

Resumo

Em sua viagem como repórter d’O Estado de S. Paulo, Euclides da Cunha passa a ter um olhar conflitante com a visão com a qual chegou ao interior da Bahia para narrar a história de Canudos, para os críticos. Oitenta anos depois, o livro Sertões: luz e trevas busca mostrar as antíteses existentes no sertão nordestino, trabalhando sobre recortes textuais do texto euclidiano, feitos pela fotógrafa Maureen Bisilliat, assim como a diagramação e a autoria das fotografias. O presente trabalho busca analisar as duas obras para que se possa encontrar o diálogo existente entre o texto literário e o texto imagético, através de leitura, contextualização histórica de cada autor e observação das antíteses trabalhadas pela fotógrafa traçou-se um paralelo entre os recortes textuais e encontrou-se a ilustração, por meio das fotografias, do texto presente a cada bloco imagético

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda da Cunha Correia, Universidade Mackenzie
graduanda do curso de Jornalismo do Centro de Comunicação e Letras da UPM, onde participa de projeto de pesquisa de Jornalismo e Estudos da Mídia
Publicado
2009-03-18
Como Citar
Correia, F. (2009). O diálogo entre o romance Os Sertões de Euclides da Cunha e a imagem fotográfica de Maurren Bisilliat: um estudo entre a terra e o homem, a luz e as trevas. Anagrama, 1(1), 1-16. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/anagrama/article/view/35293
Seção
Artigos