Religião e Violência na Periferia de São Paulo

  • Alice Abi-Eçab
Palavras-chave: violência urbana, pentecostalismo, pobreza

Resumo

Ambas questões têm apresentado forte presença nas periferias e bairros pobres paulistanos: violência urbana e pentecostalismo. Explorando o contexto de desigualdade social vigente no país, a religião pentecostal consegue cada vez mais atrair seguidores das camadas pobres com as suas promessas de prosperidade material e "salvação dos problemas mundanos". Seria a conversão ao pentecostalismo uma opção de sobrevivência nas periferias de São Paulo? Com exploração de produções científicas, cruzamento de dados estatísticos, exercícios de campo e vivência de uma práxis a fim de problematizar a relação existente entre a opção religiosa e a incidência da violência, a hipótese levantada é conhecer e reconhecer se nestas comunidades os grupos pentecostais estão menos expostos à violência urbana do que aqueles não pentecostais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alice Abi-Eçab
Bacharel no Curso de Serviço Social pela Faculdade de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC-SP
Publicado
2011-06-12
Como Citar
Abi-Eçab, A. (2011). Religião e Violência na Periferia de São Paulo. Anagrama, 5(1), 1-15. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/anagrama/article/view/35581
Seção
Artigos