Narrando viagens e invenções. Hercule Florence: amigo das artes na periferia do capitalismo

Autores

  • Dirceu Franco Ferreira USP; FFLCH

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0101-47142014000200006

Resumo

O volumoso manuscrito de 423 páginas redigido entre 1837 e 1859, por Antoine Hercule Romuald Florence (1804-1879), intitulado L'ami des arts livré à lui-même. Recherche et découvertes sur différents sujets nouveaux, traz uma compilação dos principais objetos de estudo e reflexão desse franco-monegasco radicado no Brasil. Neste artigo, o L'ami des arts é compreendido como ponto de partida para uma contextualização das pesquisas que resultaram na invenção da photographie, método de reprodução de textos e desenhos anunciado na Província de São Paulo em 1834. Em seguida, a leitura do relato da Expedição Langsdorff apresentado no mesmo manuscrito foi, por sua vez, o ponto de partida para estabelecer uma classificação das diferentes versões escritas por Florence. A partir da pesquisa em suas correspondências ativas foi ainda possível recuperar o esforço do autor para publicar a conhecida narrativa de Viagem Fluvial. De modo geral, busca-se, aqui, problematizar a cronologia de suas invenções e das versões de seu relato da expedição Langsdorff, mostrando as intersecções entre as narrativas das invenções e das viagens, em especial o cruzamento fixado na matriz autobiográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-12-01

Como Citar

Ferreira, D. F. (2014). Narrando viagens e invenções. Hercule Florence: amigo das artes na periferia do capitalismo. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 22(2), 153-196. https://doi.org/10.1590/S0101-47142014000200006

Edição

Seção

Estudos de Cultura Material