A herança do PCH: balanço crítico e desdobramentos 40 anos depois

  • Marcia Sant'Anna Universidade Federal da Bahia; Faculdade de Arquitetura

Resumo

Este artigo realiza um balanço crítico do Programa de Cidades Históricas (PCH), implementado pelo governo federal do Brasil entre 1973 e 1987. O PCH constituiu a primeira política de preservação do patrimônio urbano de caráter amplo, integrado e descentralizado, sendo, até hoje, a que obteve os resultados mais duradouros, sejam positivos ou negativos. Neste trabalho - que se baseia em pesquisa realizada pela autora em meados dos anos 1990 e em pesquisas recentes feitas por outros autores - busca-se resgatar alguns aspectos pouco conhecidos do programa que são úteis para a reflexão atual sobre as políticas de preservação do patrimônio. Busca-se também avaliar, dos pontos de vista conceitual, institucional e operacional, a herança deixada por essa experiência que, de modo pioneiro, tentou executar a difícil tarefa de preservar o patrimônio urbano de modo economicamente sustentável - uma tarefa que ainda não foi executada de modo consistente e adequado no Brasil contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-04-01
Como Citar
Sant’Anna, M. (2016). A herança do PCH: balanço crítico e desdobramentos 40 anos depois. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 24(1), 59-74. https://doi.org/10.1590/1982-02672016v24n0102
Seção
Estudos de Cultura Material/Dossiê