Razão, religião e revolução: luzes e sombras nas telas de Jacques-Louis David

  • Claudio Aguiar Almeida Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas

Resumo

O artigo analisa a produção pictórica de Jacques-Louis David entre o final da década de 1770 e 1793, destacando o entrelaçamento entre arte, religião e política nas obras do artista francês. Em sua luta contra o Antigo Regime, “filósofos artistas”, como Jacques-Louis David, apossaram-se das armas que eram manipuladas, há séculos, por um de seus principais inimigos: a Igreja. A transmissão do ideário iluminista não poderia ficar restrita à “aridez” dos textos acadêmicos, devendo buscar na religião e nas artes o “encantamento” indispensável à conquista de olhos, ouvidos, cérebros e corações. Depois de recorrer aos heróis das antigas Grécia e Roma, Jacques-Louis David debruçou-se sobre os homens do seu tempo: os deputados de O juramento do jogo de pela e os mártires que sacrificaram suas vidas em prol da revolução. Entrelaçando a arte clássica com a cristã, razão, revolução e religião, Jacques-Louis David forjou estratégias que seriam mobilizadas na propagação de líderes e ideários políticos nos séculos XIX e XX.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-12-01
Como Citar
Almeida, C. (2016). Razão, religião e revolução: luzes e sombras nas telas de Jacques-Louis David. Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 24(3), 269-298. https://doi.org/10.1590/1982-02672016v24n0309
Seção
Estudos de Cultura Material