Notas sobre a Carta de Veneza

  • Beatriz Mugayar Kühl Universidade de São Paulo; Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Carta de Veneza, Conservação, Restauração, Bens Culturais, Monumentos Históricos, Patrimônio Arquitetônico

Resumo

Este artigo propõe uma leitura crítica da Carta de Veneza, documento-base do Icomos, fruto de congresso realizado em 1964. No Brasil, a Carta é citada com muita frequência, mas não entendida na mesma medida. As chamadas cartas patrimoniais são documentos - em especial aquelas derivadas de organismos internacionais - cujo caráter é indicativo ou, no máximo, prescritivo. Constituem base deontológica para as várias profissões envolvidas na preservação, mas não são receituário de simples aplicação. Para elaborar uma leitura fundamentada do documento, suas formulações devem ser entendidas em relação aos postulados teóricos da época em que foi produzida e aos desdobramentos do campo. Aqui, abordam-se esses temas, associando-os a comentários e esclarecimentos a respeito dos artigos da Carta, mencionando a origem de determinadas ideias, a forma como a Carta se aproxima ou difere de documentos anteriores, e as bases teóricas de determinadas proposições ali contidas. Esse processo de análise crítica fundamentada do documento é necessário para que as indicações ali contidas possam ser interpretadas de modo mais pleno, de modo a poder utilizá-las, na prática, nos dias de hoje.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2010-12-01
Como Citar
Kühl, B. (2010). Notas sobre a Carta de Veneza . Anais Do Museu Paulista: História E Cultura Material, 18(2), 287-320. https://doi.org/10.1590/S0101-47142010000200008
Seção
Conservação e Restauração