Campos expandidos da escultura na recuperação paisagística e urbana: um exemplo de arte pública e práticas colaborativas

  • Susana Piteira Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
  • Leonardo Charréu
Palavras-chave: escultura, regeneração urbana/ rural, paisagem, práticas colaborativas

Resumo

Pretendemos discutir a inserção da escultura como elemento qualitativo na recuperação urbana e paisagística, a partir de um projeto de recuperação e reabilitação de um velho caminho rural, desenvolvido e implementado em Belver, pequena povoação rural do centro de Portugal. Destacamos o impacto e o debate conceitual gerados pelo projeto – financiado com fundos Europeus – sobre quem nele participou, assim como as práticas colaborativas entre políticos, arquitetos e artistas que consideramos serem relativamente raras em contextos similares. Elas permearam os princípios e processos em que o trabalho foi realizado, e por isso nos pareceram dignas de estudo e atenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Susana Piteira, Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
Doutoranda na Faculdade de Belas Artes de Barcelona e professora auxiliar convidada na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto
Leonardo Charréu
Investigador colaborador no I2ADS (Instituto de investigação em Arte, Design Sociedades) da Universidade do Porto e do GEAPEC (Grupo de Estudos em Arte, Educação e Cultura) da Universidade Federal de Santa Maria.
Publicado
2015-12-22
Como Citar
Piteira, S., & Charréu, L. (2015). Campos expandidos da escultura na recuperação paisagística e urbana: um exemplo de arte pública e práticas colaborativas. ARS (São Paulo), 13(26), 156-171. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2015.106084
Seção
Arte, tecnologia e novas mídias