Melancolia do moderno: móveis esquecidos de Sergio Rodrigues

Autores

  • Marcelo Mari Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2017.123176

Palavras-chave:

móveis de escritório, mobiliário moderno, Sergio Rodrigues, Casa do Brasil, palácio Pamphili

Resumo

Ainda que Sergio Rodrigues tenha ficado notoriamente conhecido por sua poltrona Mole, não se pode esquecer de uma série de móveis desenhados por ele para escritório, que viriam a cumprir outra função na arquitetura. Eles foram concebidos pelo arquiteto para a Casa do Brasil em Roma, no palácio Doria Pamphili. Móveis que por sua funcionalidade foram esquecidos, mas que guardam no seu desenho, material e concepção final algo do mesmo otimismo inscrito na construção de Brasília. Quando se anda pelas salas e corredores da Casa Brasil, tem-se a impressão de que objetos, pinturas e particularmente os móveis traçam com exatidão cristalizada qual foi a contribuição das artes no período desenvolvimentista brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Mari, Universidade de Brasília

Professor de História da Crítica de Arte no Brasil, Departamento de Artes Visuais, Universidade de Brasília.

Downloads

Publicado

2017-04-30

Como Citar

Mari, M. (2017). Melancolia do moderno: móveis esquecidos de Sergio Rodrigues. ARS (São Paulo), 15(29), 122-145. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2017.123176

Edição

Seção

Artigos