Imagens apesar de tudo: problemas e polêmicas em torno da representação, de “Shoah” a “O filho de Saul”

  • Ilana Feldman Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem
Palavras-chave: Georges Didi-Huberman, Shoah, cinema, inimaginável, irrepresentável

Resumo

Este artigo pretende investigar as polêmicas e os problemas em torno da representação do Holocausto (Shoah), a partir de três ensaios de Georges DidiHuberman, Images malgré tout (2003), Cascas (2013) e Sortir du noir (2015). Tais textos se endereçam ao “inimaginável” e ao “irrepresentável”, filosófico e estético, e o refutam, por meio da análise de quatro fotografias, capturadas por membros do Sonderkommando em Auschwitz-Birkenau em agosto de 1944. Em cotejo com o cinema, de Shoah a O filho de Saul, passando por Noite e neblina e Kapo, atualizamos a querela das imagens, cada vez mais atual e longe de ser encerrada

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ilana Feldman, Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem
É doutora em cinema pela Escola de Comunicações e Artes da USP, com passagem pelo Departamento de Filosofia, Artes e Estética da Universidade Paris VIII. Atualmente, realiza pós-doutorado em Teoria Literária no Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP, com pesquisa sobre cinema, testemunho e autobiografia
Publicado
2016-12-28
Como Citar
Feldman, I. (2016). Imagens apesar de tudo: problemas e polêmicas em torno da representação, de “Shoah” a “O filho de Saul”. ARS (São Paulo), 14(28), 135-153. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2016.124999
Seção
Artigos