“The Whitechapel experiment”, o projeto Éden e a busca por uma experiência afetiva total

  • Maria de Fátima Morethy Couto Universidade Estadual de Campinas
Palavras-chave: Hélio Oiticica, “The Whitechapel experiment”, ambiente Éden, participação do espectador

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar a exposição “The Whitechapel experiment”, de Hélio Oiticica, realizada em 1969, em Londres, discutindo a polêmica que cercou sua montagem, como se deu sua recepção na imprensa local naquele momento e como ela vem provocando novas leituras. Não tem por intenção procurar reconstituir a mostra, mas dar novos sentidos a documentos e testemunhos diversos, alguns dos quais pouco estudados, relacionando-os de modo a enfatizar a importância das experiências de Oiticica no Reino Unido para seu programa de trabalho nos anos seguintes. Ele se relaciona à pesquisa desenvolvida em estágio de pós-doutorado, no centro de pesquisa TrAIN, da University of the Arts, Londres, com bolsa Fapesp.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Fátima Morethy Couto, Universidade Estadual de Campinas

Maria de Fátima Morethy Couto é professora livre-docente do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas [Unicamp] e pesquisadora do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico [CNPq]. Autora do livro Por uma vanguarda nacional. A crítica brasileira em busca de uma identidade artística – 1940/1960 [Ed. Unicamp, 2004] e coautora/organizadora dos livros ABCdaire Cézanne [Flammarion, 1995], Instituições da Arte [Zouk, 2012], Espaços da arte contemporânea [Alameda, 2013], História das artes em exposições: modos de ver e de exibir no Brasil e Histórias da arte em coleções [Riobooks, 2016].

Publicado
2017-10-27
Como Citar
Couto, M. de F. (2017). “The Whitechapel experiment”, o projeto Éden e a busca por uma experiência afetiva total. ARS (São Paulo), 15(30), 111-132. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2017.134621
Seção
Artigos