Entrevendo olhares espectrais: as fotografias de vítimas das ditaduras em obras de arte contemporâneas

Palavras-chave: fotografia, arte, memória, ditadura

Resumo

Este artigo analisa os catálogos de três exposições apresentadas no Memorial da Resistência de São Paulo que têm como principal material expressivo fotografias de mortos e desaparecidos políticos, vítimas das ditaduras civil- militares da Argentina, do Brasil e do Chile. “Buena memoria”, de Marcelo Brodsky, “Ausenc’as”, de Gustavo Germano, e “119”, de Cristian Kirby, são examinados pelo modo como mobilizam esses retratos, destacados em suas estratégias próprias. Guardadas as singularidades de cada trabalho, a análise aponta neles uma potência comum: a capacidade de agenciar os olhares encarnados nas imagens, que então podem mirar de volta os espectadores para deles exigir recordação, responsabilização e redenção. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Lima Santos, Universidade Federal de Ouro Preto

Professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto. Doutora em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais e mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia. 

Publicado
2018-12-23
Como Citar
Santos, A. C. (2018). Entrevendo olhares espectrais: as fotografias de vítimas das ditaduras em obras de arte contemporâneas. ARS (São Paulo), 16(34), 233 - 259. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2018.137293
Seção
Artigos