Visadas cubistas: Carl Einstein, Daniel-Henry Kahnweiler e Vincenc Kramář

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2017.138527

Palavras-chave:

cubismo, forma, visão, teoria da arte

Resumo

Três textos centrais sobre Cubismo escritos nas primeiras décadas do século XX se distinguem pelo esforço de acompanhar de modo original as descobertas e formulações de Picasso, Braque, Léger e Juan Gris. Seus autores, Carl Einstein, Daniel-Henry Kahnweiler e Vincenc Kramář, fizeram leituras criativas do cubismo e defenderam a busca dos pintores por estabelecer novas compreensões do espaço baseadas na experiência vivenciada. Eles descartaram a concepção metafísica do espaço enquanto medida de valor espiritual, se esforçaram por evitar descrições baseadas em sentimentos e entenderam a experiência da arte a partir da interpenetração de elementos físicos e psíquicos. Apresentamos aqui algumas características desses três textos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elena O'Neill, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Elena O’Neill é arquiteta, doutora em História da Arte pela Puc-Rio com a tese “Carl Einstein: por uma outra leitura da forma” (2013). Atualmente faz pós-doutorado no Instituto de Artes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (CAPES/PNPD). Entre suas contribuções mais recentes está Carl Einstein e a arte da África (EdUERJ, 2015), editado junto com Roberto Conduru, e “A escrita atuante de Carl Einstein”, publicada na revista Topoi (v. 17, n. 32, 2016).

Downloads

Publicado

2017-12-19

Como Citar

O’Neill, E. (2017). Visadas cubistas: Carl Einstein, Daniel-Henry Kahnweiler e Vincenc Kramář. ARS (São Paulo), 15(31), 85-102. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2017.138527

Edição

Seção

Artigos