Sinestesia nas artes

relações entre ciência, arte e tecnologia

Palavras-chave: sinestesia, arte, tecnologia, criatividade, multissensorialidade

Resumo

Este artigo tem como objetivo investigar a sinestesia na arte a partir de posicionamentos de pesquisadores, tanto das ciências cognitivas quanto do universo artístico. Do ponto de vista das neurociências, destaca-se principalmente a relação entre sinestesia e criatividade. Sob uma perspectiva artística, discute-se a utilização da palavra sinestesia para caracterizar trabalhos artísticos, e são propostas três categorias de identificação e análise deste tipo de obra: metafórica, mnemônica e por simulação. Apresenta-se, por fim, o potencial da tecnologia para abordar a sinestesia na arte a partir da análise de três propostas artísticas contemporâneas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Loren P. Bergantini, Universidade de São Paulo (USP), Brasil

Loren P. Bergantini é artista, pesquisadora e doutoranda em Poéticas visuais no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Escola de Comunicações e Artes da USP (PPGAV/ECA-USP) com bolsa da Fapesp. Concluiu mestrado (2016) sobre a relação entre sinestesia, voz e obras artísticas interativas pela mesma instituição e, o bacharelado em Artes Plásticas (habilitação: multimídia e intermídia) em 2013 pelo Departamento de Artes Plásticas (CAP) da ECA/USP. Integra o grupo de pesquisa Realidades da ECA/USP desde 2014. Seus interesses artísticos englobam arte interativa, arte digital, sinestesia, canto, multissensorialidade e multidisciplinaridade.

Publicado
2019-05-12
Como Citar
Bergantini, L. (2019). Sinestesia nas artes. ARS (São Paulo), 17(35), 225 - 238. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2019.151267