Experimentações Institucionais no Museu de Arte Contemporânea de Barcelona (MACBA) e seus diretores

entre autonomia e conflito

Palavras-chave: experimentações institucionais, instituições de arte, museus de arte, MACBA

Resumo

Neste artigo, realiza-se uma contextualização acerca da concepção do Museu de Arte Contemporânea de Barcelona (MACBA), enfatizando-se a gestão de Manuel Borja-Villel (1998-2008) como diretor, em que foram realizadas experimentações institucionais que visaram a aproximar o Museu, a cidade e a comunidade. Em seguida, é analisada a gestão de seu sucessor, Bartomeu Marí (2008-2015), a fim de verificarmos, a respeito da construção de uma “cultura institucional”, a proposição dessas experimentações institucionais no museu. Avalia-se, por um lado, a possibilidade de que a sustentação de proposições desse tipo esteja ancorada em figuras de diretores específicos. De outro, cabe questionarmos se as estruturas internas à instituição poderiam determinar e cercear a autonomia dos diretores em casos de eventuais conflitos de interesses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nicole Marziale, Universidade de São Paulo (PGEHA-USP), Brasil

Nicole Marziale é Doutoranda no Programa de Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte da Universidade de São Paulo (PGEHA-USP). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP). Este artigo é fruto de pesquisa financiada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e orientada pela Profa. Dra. Dária Gorete Jaremtchuk.

Publicado
2020-04-30
Como Citar
Marziale, N. (2020). Experimentações Institucionais no Museu de Arte Contemporânea de Barcelona (MACBA) e seus diretores. ARS (São Paulo), 18(38), 167 - 195. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2020.153912
Seção
Artigos