Configurações indeterminadas

uma análise do diagrama e da mancha como desdobramentos da anamorfose na obra de Hans Bellmer

Palavras-chave: informe, anamorfose, mancha, diagrama, quiasma

Resumo

Neste artigo, investigamos o informe, na obra de Hans Bellmer, como possibilidade de releitura da anamorfose a partir dos conceitos de diagrama e mancha, estudados por Kenneth Clark em seu texto “The blot and the diagram”. Dessa maneira, analisamos a relação entre corpo e cenário, ao explorar como Bellmer busca no studium, conceito de Roland Barthes, gerar ambiguidades, subvertendo a iconografia dedicada ao erotismo e os limites entre o exterior e o interior. Com base nesses processos, examinamos como o informe se desdobra da anamorfose e o evocamos, na obra de Bellmer, como dúvida, no instante em que a perspectiva e a anatomia são colapsadas pelo diagrama e pela mancha, dos quais se originam elementos de ordem abstrata e figurativa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Rodrigues da Costa, Universidade do Estado de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Alexandre Rodrigues da Costa cursou Graduação em Letras (UFMG), Mestrado em poéticas da Modernidade (UFMG) e Doutorado em Literatura Comparada (UFMG). Realizou Pós-doutorado em Literatura Comparada (UFMG). É Professor de História da Arte, na Escola Guignard (UEMG), departamento de Disciplinas Teóricas e Psicopedagógicas.

Publicado
2019-08-31
Como Citar
Costa, A. (2019). Configurações indeterminadas. ARS (São Paulo), 17(36), 79 - 97. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2019.155645
Seção
Artigos