Lições de anatomia

do corpo eterno à eternidade do corpo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2020.166452

Palavras-chave:

anatomia, dissecação, corpo, clássico, contemporâneo

Resumo

As duas pinturas de Rembrandt van Rijn (1606-1669) nas quais o artista holandês retrata lições de anatomia em 1632 e 1656 revelam limitações que a leitura de uma obra de arte pode impor ao olhar contemporâneo se nos ativermos apenas ao universo de nossa subjetividade, ignorando o panorama histórico no qual tais representações foram criadas. A partir dessa constatação aparentemente óbvia, o presente trabalho pretende apontar os parâmetros clássicos que determinaram a longa tradição das práticas anatômicas e alguns de seus desdobramentos contemporâneos, com especial enfoque nos trabalhos do polêmico artista, ou seria melhor dizer, médico e anatomista alemão Gunther Von Hagens. Como no Atlas Mnemosyne, de Aby Warburg, a associação de imagens estrutura o eixo das reflexões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Coelho, Universidade Federal de São João del-Rei, Brasil

Doutor em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista (Unesp) (2015), tendo realizado parte de sua pesquisa na Universitat de Barcelona (2014), com bolsa sanduiche subvencionada pela CAPES; Mestre em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Unesp (2003) e Bacharel em Artes Plásticas pela mesma instituição (1999). Desde 2009, é professor do Departamento de Arquitetura, Urbanismo e Artes Aplicadas da Universidade Federal de São João del-Rei, em Minas Gerais. Atua, ainda, como curador independente, designer de exposições e, como artista visual, participou de mais de 40 mostras de arte contemporânea e festivais de vídeo em espaços como a Casa das Rosas, Centro Cultural São Paulo, Funarte, Fundação Bienal, Centro Cultural Banco do Brasil, além de contar com participações no 2º Prêmio Cultural Sérgio Mota e no Festival VideoBrasil. É autor dos Livros Em trânsito (2012) e O que há de humano em nós (2016, 1º volume da série “Ensaios de Arte e Cultura”), ambos financiados e produzidos pela Ars et Vita, produtora cultural responsável pelo Festival Artes Vertentes - Festival Internacional de Artes de Tiradentes.

Downloads

Publicado

2020-10-23

Como Citar

Coelho, R. (2020). Lições de anatomia: do corpo eterno à eternidade do corpo. ARS (São Paulo), 18(39), 75-103. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2020.166452

Edição

Seção

Artigos