O corpo materno como provocação entre o público e o privado

  • Mariela Lamberti de Abreu Universidade de São Paulo

Resumo

O artigo se propõe a pensar na dualidade público-privado sob a ótica da crítica feminista, inclusive questionando essa separação e apresentando diferentes argumentos de algumas autoras. Com isso, pretende-se encontrar pontos de interseção com uma performance artística criada também para provocar e questionar as paredes que separam a casa da rua, que põe a mulher quase como refém da lógica das teorias políticas liberais, hierarquizando a vida pública e a vida privada com critérios bastante segregadores.

Palavras-chave: Corpo Materno, Público, Privado, Feminismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariela Lamberti de Abreu, Universidade de São Paulo

Atriz e pesquisadora, graduada em Psicologia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e mestranda no PPG de Artes Cênicas da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP).

Referências

BARROS, Roberta. Elogio ao toque, ou como falar de arte feminista à brasileira. Ed. do Autor, Rio de Janeiro, 2016.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão da identidade. Tradução Renato Aguiar. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

RAGO, Margareth. Epistemologia feminista, gênero e história. In: Pedro, Joana; Grossi, Miriam (orgs.) Masculino, Feminino, Plural. Florianópolis: Ed. Mulheres,1998.

OKIN, Susan Moller. Gênero, o Público e o Privado. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, 2008, vol. 16 (2).

Publicado
2018-10-25
Como Citar
Abreu, M. (2018). O corpo materno como provocação entre o público e o privado. Revista Aspas, 8(1), 163-175. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v8i1p163-175