Meu corpo é a minha luta diária

uma análise crítica da performance Espaço do Silêncio, de Nina Caetano

  • Mirela Ferreira Ferraz Universidade Estadual de Santa Catarina

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar a performance Espaço do silêncio, de Nina Caetano, a fim de discutir a dimensão crítica do trabalho no que se refere, sobretudo, à violência contra a mulher. Pretende-se analisar como a ação performativa realizada na rua redimensiona as fronteiras entre artista e público, tornando-se um dispositivo político de combate contra a violência em questão.

Palavras-chave: Performance de rua, Violência de gênero, Violência contra a mulher.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mirela Ferreira Ferraz, Universidade Estadual de Santa Catarina

Doutoranda em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Mestre em História Social da Arte pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Graduada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop).

Referências

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: Feminismo e subversão de identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

____________. Quadros de Guerra: quando a vida é passível de luto. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2015.

CERQUEIRA,Daniel;FERREIRA,Helder;LIMA,Renato;BUENO,Samira;HANASHIRO, Olaya;Batista,Filipe;NICOLATO,Patricia. Altas da Violência 2016. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/nota_tecnica/160405_nt_17_atlas_da_violencia_2016_finalizado.pdf. Acessado em março de 2018.

CERTEAU, Michel. A cultura no plural. Campinas: Papirus, 1995.

CHAUÍ, Marilena. Participando do Debate sobre Mulher e Violência. In: Franchetto,

Bruna, Cavalcanti, Maria Laura V. C. e Heilborn, Maria Luiza (org.). Perspectivas Antropológicas da Mulher 4, São Paulo, Zahar Editores, 1985.

DESGRANGES, Flávio. A Pedagogia do Espectador. São Paulo: Hucitec, 2003.

DUVE,Thierry de. Dan Graham et la critique de l'autonomie artistique - in dan graham - œuvres [cat.] Paris: MAM de la Ville de Paris, 2001.

FERRAZ, Mirela. A zona de tensão instaurada pela performance: Linhas de uma cartografia traçada entre as obras de Joseph Beuys, Marina Abramovic e o Grupo EmpreZa. 2013. Dissertação de mestrado. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. PUC – Rio. Brasil

GIL, José. A imagem-nua e as pequenas percepções – Estética e RANCIÈRE, Jacques. Metafenomenologia. Lisboa: Relógio d’água Editores, 1996.

RANCIÈRE, Jacques. A Partilha do Sensível. São Paulo: Ed. 34, 2000

________________.O espectador emancipado. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

SCOTT, Joan. Gender: a useful category of historical analyses. Gender and the politics of history. New York, Columbia University Press, 1989.

STOLLER, Robert. Sex and Gender: On the Development of Masculinity an Feminity. New York: Sciece House, 1968.

Publicado
2018-10-25
Como Citar
Ferraz, M. (2018). Meu corpo é a minha luta diária. Revista Aspas, 8(1), 189-199. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v8i1p189-199