Iluminação cênica e desobediências de gênero

  • Dodi Tavares Borges Leal Universidade de São Paulo

Resumo

Este texto apresenta alguns achados de pesquisa de doutorado recém-concluída sobre transgeneridades e recepção teatral. Um dos aspectos nevrálgicos dos resultados da investigação éo potencial performativo da luz cênica como força lírica de expressão das visualidades de desobediências de gênero. A partir da crítica ao paradigma patológico de “transexualidade”, que reduz a amplitude das transgeneridades à modificação corporal, aventamos a corruptela “luzvesti” (luz + travesti) como operadora do aparato estético da iluminação cênica sobre desobediências de gênero. Nessa mesma direção, embasando-nos em uma perspectiva contrassexual, a ideia de diversidade sexual representada por siglas éposta em xeque em seu produtivismo cardapialista, monossexual e em escala. A partir da análise dos efeitos de luz das encenações A demência dos touros (Cia. Teatro do Perverto, 2017) e As 3 Uiaras de SP City (Laboratório de Técnica Dramática, 2018), tendo ambas abordado as transgeneridades como problemática urbana, pretende-se neste artigo indicar os aportes da iluminação cênica ao redimensionamento teórico dos estudos de gênero a partir das visualidades. Assim, o que se entende por autodesignação identitária em função do desejo ou de práticas sexuais passa a ser tensionado com processos subjetivos e sociais de performatividade e de recepção contrassexuais, percebendo a luz como um elemento de desenho espacial do gênero. A iluminação como traje de cena (vestir-se de luz) éentão vista como uma possível resultante espacial de desobediência de gênero entre a dramaturgia da luz e a atuação da recepção teatral.

Palavras-chave: Iluminação cênica, Transgeneridades, Contrassexualidade, Performance de gênero, Recepção teatral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dodi Tavares Borges Leal, Universidade de São Paulo

Doutora em Psicologia Social pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e licenciada em Artes Cênicas pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Publicado
2018-08-16
Como Citar
Leal, D. (2018). Iluminação cênica e desobediências de gênero. Revista Aspas, 8(1), 24-40. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v8i1p24-40