Ser estando feminista

práticas estético-políticas de rexistência

  • Nina Caetano Universidade Federal de Ouro Preto
Palavras-chave: Feminismo, Artivismo, Performatividade de gênero, Performance

Resumo

Este texto trata de alguns trabalhos feministas que desenvolvo, notadamente a performance de rua Espaço do silêncio, pensando-as como práticas “estético-políticas de rexistência”, ou seja, como ações em que se entrelaçam às dimensões artísticas, não somente questões de ordem ética, mas também aquelas relacionadas à nossa presença no mundo e as possibilidades de nele inventar políticas de rexistência.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nina Caetano, Universidade Federal de Ouro Preto

Doutora em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo. Atua como professora do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal de Ouro Preto, pesquisadora da cena contemporânea, performer e ativista feminista.

Publicado
2018-10-25
Como Citar
Caetano, N. (2018). Ser estando feminista. Revista Aspas, 8(1), 7-23. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v8i1p7-23