À Mesa

Nós

  • Kenia Dias Pontifícia Universidade Católica de São Paulo
Palavras-chave: Diário, Criação em rede, Grupo Galpão

Resumo

Este artigo pretende analisar o objeto-sujeito Mesa do Grupo Galpão, de Minas Gerais como uma possível materialidade para o que podemos chamar de diário, agindo como uma espécie de canteiro documental do grupo, com informações espaciais, verbais, temporais e gráficas que, entre tantos desafios e (re)existências, luta contra o esquecimento de processos. Com um suporte de ferro e um tampo largo e quadrado de madeira gasta, a Mesa, aqui, será analisada como um código móvel em diálogo com as reflexões que compõem o diário Perto: um diário de montagem (ainda não publicado), escrito pelo ator e fundador do grupo, Eduardo Moreira, cuja escrita aconteceu durante o processo de criação da peça Nós, dirigida por Márcio Abreu. O diário também será analisado com o poema-escritura em processo A Mesa, de Francis Ponge, o livro A poética do espaço, de Bachelard, e a teoria de redes de criação de Cecilia Salles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kenia Dias, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

Doutorado em Comunicação e Semiótica em andamento na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Linha de pesquisa: Processos de Criação na Comunicação e na Cultura. Orientadora: Cecilia Salles. Bolsista da Capes/CNPq. Diretora, performer e professora de artes cênicas.

Publicado
2019-08-29
Como Citar
Dias, K. (2019). À Mesa. Revista Aspas, 9(1), 171-184. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3999.v9i1p171-184