ENTRE, LOUCURA: entre também, juízo

Autores

  • Paula Baraldi Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

Palavras-chave:

Fauzi Arap, Flávio Império, Teatro Brasileiro, Traje de Cena, Vida e Arte

Resumo

O tema da loucura, abordado no teatro, funciona como metalinguagem, uma vez que o teatro faz parte do domínio de Dioniso, o deus louco, delirante. À luz dos helenistas Jean-Pierre Vernant, Karl Kerényi e Jaa Torrano, e das teorias de Michel Foucault, C.G. Jung e Nise da Silveira analisamos as personagens “loucas” nas peças Pano de boca, 1976, e Um ponto de luz, 1977, ambas escritas e dirigidas por Fauzi Arap, com visual de Flávio Império. Por meio das congruências entre essas figuras supraconscientes, buscamos compreender a questão colocada por Arap, o limiar entre a loucura e a razão, o consciente e o inconsciente. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paula Baraldi, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes

Mestranda em Artes Cênicas na Escola de Comunicações e Artes - Universidade de São Paulo, onde pesquisa a criação de Flávio Império em sua parceria de trabalho com Fauzi Arap. Possui graduação em Desenho de Moda pela Faculdade Santa Marcelina (São Paulo, 2010) e especialização em Cenografia e Figurino pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (2012). É pesquisadora e figurinista do Grupo 42 Coletivo de Teatro e pesquisadora e assistente de curadoria do Acervo Flávio Império. Possui experiência na área de Artes, com ênfase em Artes Cênicas, Figurino e Cenografia.

Referências

ARAP, Fauzi. Pano de Boca: dois atos de ARAP. São Paulo, 1975.

___________. Um Ponto de Luz. São Paulo, 1975.

___________. Depoimento [1976]. São Paulo: Arquivo Multimeios/ Centro Cultural São Paulo. Entrevista concedida a Maria Thereza Vargas, Mariângela Alves de Lima, Cláudia Alencar Bittencourt, Linneu Dias e Carlos Eugênio Marcondes de Moura, 1976.

___________. Sobre a Loucura. São Paulo, [197-?a].

___________. Iniciação para o ator. São Paulo, [197-?b].

___________. Mare Nostrum: Sonhos, viagens e outros caminhos. São Paulo: Senac, 1998.

AZEVEDO, Cristiane Almeida. O delirante Dioniso: o divino da vida a partir do trágico. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro - AISTHE, 2010.

BERTHOLD, Margot. História Mundial do Teatro. São Paulo: Perspectiva, 2003.

BRANCO, Lúcia Castello. Coisa de Louco. Belo Horizonte: UFMG, 1988.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, números. Rio de Janeiro: José Olympio, 2006.

FOUCAULT, Michel. História da Loucura: na idade clássica. São Paulo: Perspectiva, 2012.

GUINSBURG, Jacó; LIMA, Mariângela Alvarez.(org.). Dicionário do Teatro Brasileiro: temas, formas e conceitos. São Paulo: SESC, 2006.

HELLER, Eva. A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão. São Paulo: Gustavo Gili, 2013.

JUNG, Carl Gustav. Memórias, Sonhos e Reflexões. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

________________.O homem e seus símbolos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

KATZ, Renina; HAMBURGER, Amélia Império(Orgs.). Flávio Império. São Paulo: Edusp, 1999.

KERÉNYI, Karl. Dioniso: a imagem arquetípica da vida indestrutível. São Paulo: Odysseus, 2002.

PAVIS, Patrice. Dicionário de Teatro. São Paulo: Perspectiva, 2005.

SILVEIRA, Nise da. Jung: Vida e Obra. São Paulo: Paz na Terra, 2007.

TORRANO, Jaa. O pensamento mítico no horizonte de Platão. São Paulo: Annablume, 2013.

VERNANT, Jean-Pierre. O universo, os deuses, os homens. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

Downloads

Publicado

2014-06-30

Como Citar

Baraldi, P. (2014). ENTRE, LOUCURA: entre também, juízo. Revista Aspas, 4(1), 50-61. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/aspas/article/view/75719

Edição

Seção

Artigos