Dinâmica sedimentar atual nas enseadas da região de Ubatuba, Estado de São Paulo

  • Michel Michaelovitch de Mahiques Universidade de São Paulo; Instituto Oceanográfico
Palavras-chave: Sedimentação, Dinâmica sedimentar, São Paulo - Ubatuba, Região costeira

Resumo

Este trabalho tem, como objetivo, o estabelecimento de um modelo de sedimentação para as enseadas semi-confinadas da região costeira de Ubatuba, Estado de São Paulo, a partir da identificação dos principais mecanismos de aporte e remobilização de sedimentos e da definição de sua variabilidade. A área de estudo compreende cinco enseadas: Ubatuba, Toninhas, Flamengo, Fortaleza e Mar Virado. A metodologia de trabalho consistiu de cinco séries de estações fixas de correntometria e termossalinometria e seis séries de perfis de termossalinometria, executadas a intervalos aproximados de 3 meses, além da coleta de 115 amostras de sedimentos superficiais. Os sedimentos foram analisados quanto a granulometria, teores de carbono e nitrogênio orgânicos e carbonato biodetrítico e quanto aos constituintes da fração grossa. Os resultados demonstraram a existência de condições dinâmicas para a remobilização de sedimentos arenosos finos, durante a passagem de sistemas frontais sobre a área, e para o transporte de material em suspensão durante todo o período investigado. Indicam, também, a existência de padrões de sedimentação próprios para cada enseada, levando a uma variabilidade espacial dos tipos sedimentológicos, como função das características fisiográficas e hidrodinámicas de cada unidade. É feita, também uma avaliação da importância das áreas continentais no aporte de sedimentos terrígenos e, particularmente, da matéria orgânica, para a área.
Publicado
1995-01-01
Seção
Artigos