Atrativo para as abelhas Apis mellifera e polinização em café (Coffea arabica L.)

  • Darclet Teresinha Malerbo-Souza Centro Universitário Moura Lacerda, Departamento de Ciências Agrárias, Ribeirão Preto, SP
  • Regina Helena Nogueira-Couto Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Departamento de Zootecnia, Jaboticabal, SP
  • Leoman Almeida Couto Faculdade de Agronomia de Ituverava, Ituverara, MG
  • Julio César de Souza Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Departamento de Zootecnia, Jaboticabal, SP
Palavras-chave: Atrativos, Coffea arabica, Polinização, Apis mellifera

Resumo

O presente experimento foi conduzido em Jaboticabal, SP, e teve como objetivos estudar uma cultura de café (Coffea arabica L., var. Mundo Novo), quanto à biologia floral, a freqüência e comportamento dos insetos na flor, testar o produto Bee-HereR (Hoescht Shering Agrevo do Brasil Ltda) quanto a sua atratividade para as abelhas Apis mellifera e verificar a produção de frutos com e sem a visita dos insetos. Para isso, foram verificados o tempo do desenvolvimento e quantidade de açúcar solúvel do néctar das flores; freqüência das visitações dos insetos, no decorrer do dia, por meio de contagem do número de insetos visitando as flores, a cada 60 minutos, das 8 às 17 horas, 10 minutos em cada horário; tempo (em segundos) e tipo de coleta (néctar e/ou pólen) dos insetos mais freqüentes; perda de botões florais; porcentagem de flores que se transformaram em frutos; tempo de formação e contagem dos grãos de café, observando-se a porcentagem de frutificação em flores visitadas ou não pelos insetos. Também foram realizados testes por pulverização utilizando-se o produto Bee-HereR , diluído em xarope e em água, em diferentes horários. A flor durou, em média, cerca de 3 dias desde sua abertura até o murchamento. A quantidade de açúcares do néctar apresentou diferença significativa entre os horários, sendo maior às 8 horas (em média, 102,18 ± 8,75 mg de carboidratos totais por flor). A abelha A. mellifera foi o inseto mais freqüente nas flores de café, coletando, principalmente, néctar no decorrer do dia. A perda de botões florais causada pelas chuvas foi, em média, 26,50 ± 11,70%. O tempo para a formação do fruto foi 6 meses e o número de frutos decorrentes do tratamento descoberto foi maior (38,79% e 168,38%, em 1993 e 1994, respectivamente) que do tratamento coberto. Apesar da eficiência do produto Bee-HereR ser afetada pelas condições climáticas, ele pode ser usado para atrair as abelhas A. mellifera na cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2003-01-01
Como Citar
Malerbo-Souza, D., Nogueira-Couto, R., Couto, L., & Souza, J. (2003). Atrativo para as abelhas Apis mellifera e polinização em café (Coffea arabica L.). Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 40(4), 272-278. https://doi.org/10.1590/S1413-95962003000400006
Seção
NÃO DEFINIDA