Imunofenotipagem de leucócitos na placenta bovina

  • Thais Martins Chucri Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Cirurgia Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas, Faculdade de Medicina Veterinária Universidade Metropolitana de Santos, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Janaína Monteiro Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Cirurgia
  • Ana Rita de Lima Universidade Federal Rural da Amazônia, Laboratório de Pesquisa Morfológica Animal
  • Paula Andrea de Santis Bastos Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas, Faculdade de Medicina Veterinária Universidade Metropolitana de Santos, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Vanessa Aparecida Feijó de Souza Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas, Faculdade de Medicina Veterinária
  • José Roberto Kfoury Júnior Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Cirurgia
Palavras-chave: Placentônio, Região intercaruncular, Imunologia, Tolerância materno-fetal

Resumo

Linfócitos e macrófagos são os principais leucócitos envolvidos na tolerância materno-fetal. Pouco se sabe sobre esses leucócitos na placenta bovina, como por exemplo, a quantidade e localização dessas células. Assim, o objetivo desse estudo foi identificar populações de linfócitos e macrófagos na placenta bovina utilizando marcadores específicos e citometria de fluxo. Este estudo analisou amostras de placentônios da região intercaruncular de bovinos nos três trimestres da gestação. No primeiro trimestre, nos placentônios, a porcentagem média de células CD3+ foi 2,34%; CD8+, 1,28%; CD14+, 1,66%; e CD335+, 0,96%. Na região intercaruncular, a porcentagem de células CD3+ foi 0,71%; CD8+, 1,63%; CD14+, 2,81%; e CD335+, 2,81%. No segundo trimestre, os placentonios apresentaram 0,94% de células CD3+; 0,77% de CD8+; 0,72% de CD14+e 0,51% de CD335+. Na região intercaruncular, a porcentagem de células CD3+ foi 0,50%; CD8+, 1,81%; CD14+, 2,64%; e CD335+, 0,51%. No terceiro trimestre, os placentônios apresentaram 0,88% de células marcadas CD3+; 0,66% de CD8+; 1,06% de CD14+ e 0,74% de CD335+. Na região intercaruncular, a porcentagem de células CD3+ foi 0,19%; CD8+, 2,23%; CD14+, 2,43% e CD335+, 0,16%. Os resultados mostraram que a imunomarcação de leucócitos na região do placentônio foi maior do que na região intercaruncular no terceiro trimestre. Concluiu-se que a população de leucócitos CD3+ e CD335+ na placenta bovina está reduzida, provavelmente devido a sua característica sindesmocorial. Essa característica representa uma barreira significante para o sistema imunológico da mãe, o que diminui drasticamente a exposição do concepto ao sistema de defesa da mãe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thais Martins Chucri, Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária, Departamento de Cirurgia Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas, Faculdade de Medicina Veterinária Universidade Metropolitana de Santos, Faculdade de Medicina Veterinária

Departamento de Cirurgia

Area: Anatomia dos animais domésticos e selvagens

Ana Rita de Lima, Universidade Federal Rural da Amazônia, Laboratório de Pesquisa Morfológica Animal
Faculdade de Medicina Veterinária
Publicado
2017-08-18
Como Citar
Chucri, T., Monteiro, J., Lima, A. R., Bastos, P. A., Souza, V. A., & Júnior, J. R. (2017). Imunofenotipagem de leucócitos na placenta bovina. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 54(2), 129-138. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2017.116338
Seção
ARTIGO COMPLETO