Influência da inclusão do plasma sanguíneo na dieta de leitões desmamados sobre a carga viral de circovírus suíno tipo 2 (PCV2)

  • Renato Pacheco Monferdini Instituto de Zootecnia, Centro de Pesquisa em Zootecnia Diversificada
  • Alessandra Marnie Martins Gomes de Castro Complexo Educacional Faculdade Unidas Metropolitanas, Hospital Veterinário, Campus Ponte Estaiada
  • Priscilla Freitas Gerber Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Laboratório de Pesquisa em Virologia Animal
  • Fernando Gomes de Castro Junior Instituto de Zootecnia, Centro de Pesquisa em Zootecnia Diversificada
  • Zélia Ines Portela Lobato Laboratório de Pesquisa em Virologia Animal, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte - MG, Brasil.
  • Flavio Aparecido Baldiserra Junior Complexo Educacional Faculdade Unidas Metropolitanas, Hospital Veterinário, Campus Ponte Estaiada
  • Marcos Bryan Heinemann Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventina e Saúde Animal
  • Leonardo José Richtzenhain Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Departamento de Medicina Veterinária Preventina e Saúde Animal
  • Fábio Enrique Lemos Budiño Instituto de Zootecnia, Centro de Pesquisa em Zootecnia Diversificada
Palavras-chave: Leitões desmamados, Plasma sanguíneo em pó, Resposta imune humoral

Resumo

O plasma sanguíneo em pó (PSP), produto natural de indústria frigorífica, tem mostrado efeitos benéficos sobre o crescimento e desempenho de leitões desmamados precocemente. Atualmente, embora o circovírus suíno 2 (PCV2) tenha grande importância para a suinocultura, não há informações sobre o impacto do uso de PSP e a resposta imune ao PCV2 em infecções naturais. Este trabalho avaliou diferentes níveis de inclusão de PSP em dietas de leitões e as cargas virais de PCV2 correspondentes. Quatro níveis de inclusão de PSP foram testados em dois períodos consecutivos: 0, 2, 4 ou 6% durante o período 1 (14 aos 28 dias de idade) e 1, 2 ou 3% de PSP durante o período 2 (29 a 42 dias de idade). No período 3 (42 aos 56 dias de idade), todos os leitões foram alimentados com dieta isenta de PSP. Amostras de soro foram coletadas semanalmente e testadas para anticorpos anti-PCV2 e carga de DNA de PCV2. As concentrações de 6% e 3% de PSP fornecidas nas rações durante o período 1 e 2, respectivamente, influenciaram na carga viral de PCV2 de suínos naturalmente infectados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Zélia Ines Portela Lobato, Laboratório de Pesquisa em Virologia Animal, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte - MG, Brasil.
Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Laboratório de Pesquisa em Virologia Animal
Publicado
2017-05-19
Como Citar
Monferdini, R., Castro, A., Gerber, P., Castro Junior, F., Lobato, Z., Baldiserra Junior, F., Heinemann, M., Richtzenhain, L., & Budiño, F. (2017). Influência da inclusão do plasma sanguíneo na dieta de leitões desmamados sobre a carga viral de circovírus suíno tipo 2 (PCV2). Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 54(1), 75-80. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2017.116672
Seção
ARTIGO COMPLETO