A Física por trás dos implantes utilizados para fraturas de alto <i>strain</i>: revisão de literatura

  • Aline Schafrum Macedo Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
  • Paulo Vinicius Tertuliano Marinho Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
  • Ísis dos Santos Dal-Bó Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
  • Thales Bregadioli Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
  • Gabriel Diamante Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
  • Bianca Fiuza Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
  • André Luis do Valle De Zoppa Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
  • Cassio Ricardo Auada Ferrigno Universidade de São Paulo, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica Veterinária
Palavras-chave: Fixação de fratura, Estimulação física, Ortopedia veterinária

Resumo

Quando fraturas ósseas ocorrem, forças externas produzem movimentação interfragmentária continuamente e um método de estabilização se faz necessário. É sabido que as condições mecânicas no local de fratura influenciam a formação de calo durante o processo de cicatrização óssea e para que cicatrização óssea primária seja obtida é necessária estabilidade absoluta no foco de fratura. O conceito de strain de Perren determina que a deformação relativa no foco de fratura estabilizado depende do tamanho da lacuna de fratura original. Fraturas redutíveis (sem cominuição) são consideradas de alto strain, pois uma pequena força aplicada a linha de fratura resulta em grande movimentação com efeito deletério ao processo de consolidação. O presente trabalho revisa a literatura disponível a respeito de fatores que influenciam a mecânica de fraturas de alto strain em medicina veterinária, seus métodos de tratamento e a física por trás dos implantes disponíveis. Cada configuração de fratura requer atenção especial e cuidado crítico na escolha do método de osteossíntese e no tipo de estabilidade necessária para que a consolidação ocorra no tempo esperado. Conhecimento da teoria do strain é mandatório para a formação de cirurgiões ortopédicos. 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-04-04
Como Citar
Macedo, A., Marinho, P. V., Dal-Bó, Ísis, Bregadioli, T., Diamante, G., Fiuza, B., De Zoppa, A. L., & Ferrigno, C. R. (2018). A Física por trás dos implantes utilizados para fraturas de alto <i>strain</i&gt;: revisão de literatura. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 55(1), 1-8. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2018.131164
Seção
ARTIGO DE REVISÃO