Avaliação de diferentes desafios espermáticos in vitro e da fertilidade in vivo de partidas de sêmen bovino

  • Letícia Zoccolaro Oliveira Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias
  • Lucas Bernardes Ribeiro Centro Universitário de Rio Preto, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Luiz Gustavo Teodoro da Silva Centro Universitário de Rio Preto, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Clara Slade Oliveira Centro Nacional de Pesquisa em Gado de Leite
  • Erika Aline Ribeiro Dias Instituto de Zootecnia
  • Suzane Peres Campanholi Instituto de Zootecnia
  • Carla Cristian Campos Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Maiana Visoná de Oliveira Universidade Federal de Uberlândia, Faculdade de Medicina Veterinária
  • Fabio Morato Monteiro Instituto de Zootecnia
Palavras-chave: Taxa de concepção, Resistência espermática in vitro, IATF

Resumo

O objetivo deste estudo foi estressar células espermáticas em diferentes desafios laboratoriais e comparar os resultados in vitro com a fertilidade in vivo do sêmen. Quatro partidas de um mesmo touro Brangus foram utilizadas em um programa de IATF de 332 vacas Brangus. Cada partida foi submetida ao seguinte procedimento: a amostra de sêmen foi descongelada a 36°C por 30 segundos (grupo controle). Foram avaliados parâmetros de motilidade espermática (CASA), integridade da membrana plasmática (PMI), morfologia e concentração espermática. Em seguida, uma alíquota da amostra descongelada foi incubada em banho-maria a 45°C durante 40 minutos (grupo de desafio térmico, TCG) e outra alíquota foi centrifugada a 500 xg (gradiente de Percoll 45%/90%) durante 15 min (grupo desafio de centrifugação, CCG). Uma aliquota do sêmen centrifugado foi ainda submetida ao desafio térmico, sendo incubado a 45°C durante 40 min (grupo de desafio térmico + centrifugação, CTCG). No final de cada desafio (CCG, TCG e CTCG), os mesmos testes laboratoriais utilizados para o grupo de controle foram realizados. A seguinte taxa de concepção (CR) foi observada para cada partida (B): B1 = 48,9% (44/90), B2 = 44,2% (23/52), B3 = 55,5% (40/72) e B4 = 43,2% (51/118); (P < 0,10). No laboratório, B3 apresentou maior (P ≤ 0,05) motilidade progressiva (PM) do que B4 logo após o descongelamento (grupo controle) e após todos os desafios laboratoriais (TCG, CCG e CTCG). Porém, apesar de B3 e B4 demonstrarem similar porcentagem de PMI no grupo controle (B3 = 66,7 ± 1,3 e B4 = 65,2 ± 3,3), B3 apresentou maior (P ≤ 0,05) PMI (37,2 ± 2,5%) do que B4 (26,7 ± 3,3%) após passar pelo maior desafio laboratorial (CTCG). A partida seminal que in vitro apresentou maior resistência aos desafios laboratoriais foi a mesma que apresentou tendência para maior fertilidade in vivo. Assim, sugere-se que submeter amostras seminais a desafios laboratoriais pode ser uma alternativa interessante para selecionar partidas com maior fertilidade a campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Zoccolaro Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Veterinária, Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias

Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinárias (setor de Reprodução Animal)

Publicado
2017-11-24
Como Citar
Oliveira, L., Ribeiro, L., Silva, L. G., Oliveira, C., Dias, E. A., Campanholi, S., Campos, C., Oliveira, M., & Monteiro, F. (2017). Avaliação de diferentes desafios espermáticos in vitro e da fertilidade in vivo de partidas de sêmen bovino. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 54(3), 264-276. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2017.133366
Seção
ARTIGO COMPLETO