Valores de bioquímica plasmática em tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata) durante a época de desova na costa mexicana

  • Patricia Ishisaki Salvarani University of Aveiro, Centre for Environmental and Marine Studies, Department of Biology
  • Jaime Rendón von Osten Universidad Autónoma de Campeche, Instituto Epomex
  • Fernando Morgado University of Aveiro, Centre for Environmental and Marine Studies, Department of Biology
Palavras-chave: Eretmochelys imbricata, Hematologia, Bioquímica Plasmática, Conservação

Resumo

Para obter valores da bioquímica plasmática, foram coletadas amostras de sangue durante a desova de 47 tartarugas marinhas fêmeas aparentemente saudáveis da espécie Eretmochelys imbricata, utilizando heparina sódica como anticoagulante. Amostras de sangue foram coletadas durante dois anos entre os meses de abril e junho (época de nidificação). Mediu-se os parâmetros hematológicos (incluindo hematócrito, contagem de glóbulos brancos e vermelhos e nível de hemoglobina) e os valores da bioquímica plasmática (incluindo creatinina, ureia, ácido úrico, triglicérides, colesterol total e glicose). Os dados gerados a partir deste estudo podem ser úteis para a avaliação clínica de saúde e de doença em tartarugas-de-pente em habitats próximos ao litoral no Golfo do México, contribuindo para a conservação dessa espécie.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-07-26
Como Citar
Salvarani, P., Osten, J., & Morgado, F. (2018). Valores de bioquímica plasmática em tartaruga de pente (Eretmochelys imbricata) durante a época de desova na costa mexicana. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 55(2), e134727. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2018.134727
Seção
ARTIGO COMPLETO