Utilização de membrana celular porosa (Membracel®) e moxabustão em lesão escoriativa severa em mandrião chileno (Catharacta chilensis)

  • Natassia Bacco Mannina Instituto de Pesquisas Cananéia
  • Daniela Magalhães Drummond de Mello Instituto de Pesquisas Cananéia
  • Priscilla Carla dos Santos Costa Instituto de Pesquisas Cananéia
  • João Paulo Bastardo Rodrigues Instituto de Pesquisas Cananéia
  • João Victor da Silveira Bertão Instituto de Pesquisas Cananéia
Palavras-chave: Artemisia vulgaris, Cicatrização, Reabilitação, Metacarpos, Ave marinha

Resumo

O uso de abordagens terapêuticas alternativas em animais selvagens tem ganhado notoriedade em virtude de sua eficiência, baixo custo e estímulos estressores reduzidos ou inexistentes. Este estudo avaliou a eficácia do tratamento de uma lesão escoriativa bilateral em região do dorsal metacarpo em um mandrião chileno (Catharacta chilensis) em processo de reabilitação com o uso de uma membrana celular porosa vendida comercialmente, em concomitância com sessões de moxabustão com ervas (Artemisia vulgaris). O tempo de cicatrização de catorze dias mostrou-se reduzido quando comparado ao de outras técnicas tradicionais e provou a viabilidade e eficácia do tratamento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-06-30
Como Citar
Mannina, N., Mello, D., Costa, P. C., Rodrigues, J. P., & Bertão, J. V. (2018). Utilização de membrana celular porosa (Membracel®) e moxabustão em lesão escoriativa severa em mandrião chileno (Catharacta chilensis). Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, 55(2), e138489. https://doi.org/10.11606/issn.1678-4456.bjvras.2018.138489
Seção
RELATO DE CASO